loading...

LUIZA

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

AÇÃO DA PM INIBE ASSALTOS NOS BAIRROS FUNDINHO E MARTINS EM UBERLÂNDIA

Em 2014, com apoio da CDL Uberlândia, empresários do Fundinho reclamaram da constante falta de segurança na região e reivindicaram ações efetivas da PM.
A PM esteve por várias vezes com os comerciantes e entregou aos lojistas placas com a seguinte identificação: “Comércio Monitorado – Rede de Comércios Protegidos”. As placas ficam em local visível e serve para comunicar que a empresa está participando da rede.O objetivo do programa Rede de Comércios Protegidos é melhorar as relações entre vizinhos, despertar a consciência solidária e incentivar a vigilância informal, coibindo a ação de possíveis criminosos e garantindo a segurança pessoal e patrimonial, por meio de pequenas mudanças de comportamento e compartilhamento de informações de interesse para a segurança. A ideia essencial “vizinho protegendo vizinho”, nada mais é do que a cumplicidade e a união dos lojistas que alertam uns aos outros sobre a presença de pessoas e veículos suspeitos, por intermédio de sinais sonoros e outras estratégias, impedindo que infratores se utilizem do fator surpresa, dificultando assim, sua atuação. Sempre há uma conexão com a polícia, garantindo o repasse de informações diretas aos agentes que compõem o sistema de segurança pública, que por sua vez, direcionarão suas atuações pontualmente onde for necessário.
Segundo o assessor de Relacionamento Corporativo da CDL Uberlândia, Ronaldo Pereira Borges, a PM informou que houve redução de 62,5% dos crimes cometidos na região do Martins e 42,8% no Fundinho, em função da parceria dos empresários com a PM.
Na última reunião, a empresária do Fundinho, Renata Sologurem, deu seu testemunho sobre a eficiência e importância do projeto Comercio Solidário, com a participação do empresário, em parceria com a PM. Neste evento, também foram entregues as placas que identificam as empresas que estão participando da rede.
A proprietária da loja Maison Lela, Marielle Roveri Vilela Resende confirma a redução da criminalidade depois da intervenção mais assídua da PM. “Há anos o bairro Fundinho sofre com a onda de roubos e furtos, mas, graças à intervenção da PM, nem dezembro, mês mais movimentado, não tivemos nenhum registro, nem nas ruas e nem nas lojas. Antes, lojas inteiras eram levadas, porém, a base móvel da PM no local e a união dos lojistas que ficam atentos, mudaram esse cenário”, disse.
A empresária conta ainda que existe um grupo de pessoas que se comunicam com o intuito, por exemplo, de antecipar um possível assalto. “Se vemos um carro estranho; se percebemos uma movimentação estranha, passamos a descrição, com as características para PM. Enfim, o mais importante é o olhar coletivo. A CDL reuniu os lojistas e isso fortaleceu o grupo”, enfatizou Marielle.

Nenhum comentário:

Postar um comentário