loading...

LUIZA

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

MAIS DE MIL NOVOS MÉDICOS PAULISTAS SÃO REPROVADOS EM EXAME

"SÃO PAULO - Mais da metade dos recém-formados em Medicina no Estado de São Paulo foi reprovada no exame do Conselho Regional de Medicina (Cremesp) de 2014, segundo resultados divulgados pelo órgão na manhã desta quinta-feira, 29. Dos 2.891 egressos de escolas médicas paulistas que fizeram a prova, 55% não conseguiram atingir o porcentual mínimo de acertos, de 60%.
O índice de reprovação é levemente inferior ao do exame de 2013, quando 59% dos candidatos foram reprovados, mas ainda é considerado preocupante pelo conselho.
"É uma surpresa desagradável saber que os alunos saem da faculdade sem saber coisas básicas. E, ao mesmo tempo, nos dá uma sensação de impotência porque não podemos impedir que esse profissional incompetente exerça a profissão", diz Braulio Luna Filho, presidente do Cremesp. Ele se refere ao fato de que, pela legislação brasileira, para conseguir o registro do órgão, basta que o recém-formado participe do exame, independentemente do seu desempenho. (grifo meu).

© Gustavo Magnusson/Estadão

Para o conselho, a principal causa do desempenho ruim dos egressos é a baixa qualidade da formação médica." As escolas nem sempre têm corpo docente qualificado, hospital escola, laboratórios, biblioteca ", diz Renato Azevedo, diretor primeiro-secretário do Cremesp.
As áreas de conhecimento com o maior número de erros foram clínica médica, ciências básicas e pediatria. "São exatamente as áreas que esses novos médicos vão trabalhar quando saem da graduação. Esses profissionais mal formados geralmente não passam na prova da residência e vão atender em pronto-atendimentos ou pronto-socorros", diz Luna Filho. (grifo meu).O órgão defende um exame nacional que condicione a emissão do registro ao desempenho do profissional e estuda adotar um monitoramento anual dos reprovados no exame.(grifo meu).
Faculdades. Os alunos vindos de universidades públicas tiveram melhor desempenho no exame do que os que estudaram em escolas particulares. Enquanto no primeiro caso, o índice de reprovação foi de 33%, no segundo, chegou a 65,1%.
Das 30 escolas médicas existentes no Estado, 20 não atingiram a pontuação mínima - a maioria privada. Das dez faculdades que tiveram desempenho aceitável, sete são públicas. O Cremesp não divulga o resultado por escola."
A notícia acima foi publicada em http://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/mais-da-metade-dos-novos-m%c3%a9dicos-de-sp-%c3%a9-reprovad...
Ela é mais uma constatação fática contra aqueles que, por falta de capacidade, ficam tentando por fim ao único exame de proficiência para o exercício profissional, conhecido como EXAME DA ORDEM a que devem ser submetidos os advogados.
Essa realidade evidencia também que, ao contrário do que pensam os estudantes bacharéis, em direito, medicina, conforme a foto acima, que são reprovados, e os das demais profissões de nível superior deveriam ser submetidos a exames semelhantes ao que realiza a Ordem dos Advogados do Brasil - OAB, para que sejam liberados os respectivos registros profissionais, conforme corroborado pelos membros da direção do Cremesp.
Enquanto isso não acontecer não adiantará de nada ficarmos apenas reclamando, ou lamentando as vítimas das péssimas condições de atendimento no âmbito da saúde, seja pública ou privada, como passivamente o brasileiro costuma fazer.
Para encerrar, gostaria apenas de lembrar, para a devida análise e reflexão de todos, uma frase que sempre dizia, de dedo em riste apontando para a tela, um apresentador de televisão de um programa dirigido aos estudantes que pretendiam prestar os antigos exames pré-vestibulares para ingresso no ensino superior, ao final das apresentações das aulas:
"NUNCA ESTUDE EM UMA ESCOLA RUIM, POIS (CERTAMENTE) A VÍTIMA SERÁ VOCÊ".

Nenhum comentário:

Postar um comentário