loading...

LUIZA

sexta-feira, 6 de março de 2015

Maria Ferreira Santos: trabalhadora, tratorista, mãe, mulher e feliz.




Ela foi abandonada pela família ainda muito nova e viveu boa parte da vida na rua, sem frequentar escola e sem conseguir um trabalho fixo. Já começou a enfrentar preconceito naquele tempo. Mas, forte, cresceu disposta a conquistar seu lugar num mundo regido pelo machismo, onde ser mulher e ainda mais pobre tornava as coisas ainda mais difíceis. “Hoje, digo com muito orgulho, que já fui menina de rua, vivi sofrimentos que não desejo para ninguém, mas tenho a vida que sempre imaginei. A cada dia alimento-me do aprendizado. Agora quero me aperfeiçoar na função de tratorista”.

Sim, Maria Ferreira dos Santos, mãe de dois filhos, 33 anos, é a única tratorista na Prefeitura de Itabuna. Ela domina máquinas pesadas como uma especialista e é uma das poucas mulheres brasileiras nessa profissão. Maria Ferreira nasceu em Minas Gerais, chegou a Itabuna há 17 anos, ainda adolescente, e diz que está feliz por ter escolhido a cidade para viver e por ter escolhido a atividade profissional que há um mês desempenha na Secretaria de Desenvolvimento Urbano – Sedur.
Com orgulho, ela lembra que superou o preconceito quando se tornou a primeira e única operária de máquina pesadana Sedur, após ter passado pelaEmasa. Mariadisse que sempre sonhou em operar máquinas pesadas. “Meu sonho começou a se tornar possível quando fui aprovada na seleção pública para trabalhar naEmasa”.“Daí para a direção da retroescavadeira foi um pulo”, revela.
Ela conta que enfrentou preconceitos em várias oportunidades e lugares por onde passou. Já ficou de fora de empregos só porque é mulher, mesmo tendo comprovado capacidade e, em alguns casos, mais competência que candidatos homens. “Procurei emprego de operadorade máquinas, participei de uma seleção numa empresa onde fui a melhor em todas as etapas, mas não fui contratada porque o gerente disse que eu não poderia operar máquinas porque sou mulher”, recorda Maria. “Mas, jamais abaixei a cabeça ou desisti do sonho por isso sou vencedora”.
“Amadureci tanto e essas lembranças me dão mais força para mostrar a mim mesma que conquistei o que queria. Digo com toda força que mulher é o sexo mais forte. Temos uma perseverança incrível. Todas nós podemos correr atrás de nossos sonhos. Na hora certa, tudo acontece. Sou a primeira tratorista de Itabuna, cidade que considero meu berço. Sou uma mulher feliz e realizada. Que minha história se torne um impulso para outras mulheres que desejam seguir essa carreira ou qualquer outra”, diz uma corajosa e esperançosa Maria Ferreira dos Santos, tratorista, mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário