loading...

LUIZA

terça-feira, 28 de abril de 2015

Estado presta solidariedade e apoio às vítimas da chuva

O governador Rui Costa dedica todo o espaço do programa Digaí, Governador!, desta semana, para prestar solidariedade às famílias que perderam parentes e sofreram prejuízos em decorrência da forte chuva, que atingiu várias cidades da Bahia, desde a madrugada desta segunda-feira (27). Em relação a Salvador, onde houve os maiores índices de chuva, causando deslizamentos de terra e muitos prejuízos, Rui fala do socorro às vítimas, das ações emergenciais, de projetos estruturantes e da prioridade em salvar-vidas.
Ele informa que o governo vem atuando com toda a estrutura do Estado, incluindo o Corpo de Bombeiros e o Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer), para resgatar e salvar-vidas. “Vamos apoiar também, com a campanha de voluntariado, através das Voluntárias Sociais [da Bahia], essas pessoas que, neste momento, estão sofrendo e passando dificuldades. Minha total solidariedade e meus sentimentos [a elas]”.O governador fala sobre as obras que o Estado vem executando juntamente com o governo federal, que representa “uma parceria [para contenção] de 99 encostas na cidade do Salvador, com investimento de R$ 156 milhões”. Ele diz que há 15 dias esteve no bairro de Cajazeiras, onde entregou a obra de uma dessas encostas. “Eu tenho mais seis ordens de serviço para [assinar] nos próximos dias, ou seja, de obras novas de prevenção de encostas”.

Apoio às famílias
Entre as ações de apoio às famílias atingidas pela chuva, o governador cita que vai buscar um projeto também junto ao governo federal, por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, com o objetivo de construir habitação para essas pessoas. Ele ressalta também que “nós estamos de prontidão e ficaremos de prontidão durante todo o período de chuva”.
De acordo com ele, o Estado atuará no sentido de fazer parceria com o município de Salvador para elaborar projetos, fazer o decreto de emergência e prestar a solidariedade e o socorro imediatos às pessoas. “Nós buscaremos atuar para repor os prejuízos materiais e vamos imediatamente, assim que passar este momento de dificuldade, trabalhar junto com o município para fazer os projetos estruturantes de prevenção e [que] também possam repor as habitações das famílias que perderam as suas residências”.
O governador recorda que nasceu e morou durante 20 anos numa encosta no bairro da Liberdade. “Eu vivi momentos como esse, quando a chuva era intensa e, durante à noite, minha mãe acordava os filhos e ia para a porta da rua sempre com medo da terra desabar”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário