Ocupantes chegaram a fazer um piquenique no gabinete do prefeito
Ocupantes chegaram a fazer um piquenique no gabinete do prefeito
Liminar concedida nesta quinta-feira, 4, pelo juiz Luiz Sérgio  dos Santos Vieira, plantonista da 1ª Vara Cível da Fazenda Pública de Itabuna, determina que os grevistas da educação desocupem a sede da Prefeitura local. A ocupação foi iniciada na noite de terça-feira, 2, por iniciativa do Sindicato do Magistério Público Municipal (Simpi).
Governo e sindicato entraram em um impasse na campanha salarial do magistério. Na mesa de negociações, o prefeito Claudevane Leite chegou a autorizar um reajuste de 8%, percentual rejeitado pelo Simpi. O governo argumenta que o índice é superior ao concedido aos demais servidores (7%) e que o acertado pelo Estado com os professores de sua rede (6,41%).
Diante da dificuldade do diálogo, a gestão municipal optou por recorrer à justiça para forçar o Simpi a liberar as dependências da Prefeitura. Apesar da liminar, parte dos professores acampados na sede do governo se mostrava disposta a resistir à ordem judicial.
A decisão estabelece, para cada um dos ocupantes, multa de R$ 10 mil a cada dia a mais que permanecerem no prédio. O juiz Luiz Sérgio Vieira determinou que um serventuário fosse até a Prefeitura para identificar os invasores e solicitou força policial para efetivar a ordem.
Muitos professores reprovam o posicionamento do Simpi e apontam utilização da greve com finalidades que extrapolam a reivindicação de melhoria salarial. “Existem elementos infiltrados que estão forçando a barra para desgastar o governo e os professores estão sendo usados como massa de manobra em uma guerra que é mais eleitoral do que salarial”, afirma uma professora que pediu para não ter seu nome divulgado.
Enquanto o impasse entre professores e governo prossegue, cerca de 20 mil alunos da rede municipal continuam fora da sala de aula.