loading...

LUIZA

sexta-feira, 3 de julho de 2015

O Congresso do atraso impõe a barbárie no lugar de cidadania

Portal vermelho

"Quem votou pela criminalização de adolescentes, votará, mais adiante, pela pena de morte no Brasil. Aguardem. Esse congresso ainda vai aprovar a morte de criminosos de qualquer idade. “Se Deus quiser”, como falaria a bancada evangélica, que comemorou mais essa prova de amor maior pela humanidade",

                                                          "Em um país de cotidiana prática de tortura nas delegacias policiais, cometidas sempre contra os delinquentes de fato ou em potência, a saber, negros e pobres; em um país cuja maior escola, para todo o povo, foi e tem sido a herança da escravidão, que naturalizou a dor contra pessoas como se fossem bestas; em um país que mal saiu de uma ditadura que matou, destruiu e mutilou brasileiros sob o aleijão ideológico de que apagavam terroristas, demos este passo atrás",
Ao citar a líder do PCdoB, Jandira Feghali (RJ), Urariano Mota mostra o golpe orquestrado pela chamada bancada da Bala, do Boi e da Bíblia (BBB). "À margem do regimento como uma "pedalada regimental' e declarou que ela pode criar um "precedente perigoso". Como criou. "Se hoje serve a alguns, amanhã servirá a outros. Ganhar no tapetão não serve a ninguém", falou".
E completou: "o autor da armação, claro, mais uma vez foi o deputado Eduardo Cunha. Ele juntou partes de emendas não votadas, e com uma proposta frankestein voltou a apresenta-la como se fosse nova. Derrotado um dia antes, ele voltou na noite seguinte. Ele age como um vilão dos filmes de terror medíocres, à primeira vista. Isso porque ele usa sempre a frase, quando derrotado: “Eu voltarei”".

Nenhum comentário:

Postar um comentário