loading...

LUIZA

terça-feira, 25 de agosto de 2015

NOTA PÚBLICA - SINTAJ repudia ação da OAB-BA contra movimento grevista

O Sindicato dos Servidores dos Serviços Auxiliares do Poder Judiciário do Estado da Bahia (SINTAJ) repudiou, na manhã desta sexta-feira (21), a ação impetrada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), através de uma representação ofertada pela seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA) contra o movimento paredista dos servidores do Judiciário baiano.
Em sentença decretada pelo desembargador José Cícero Landin Neto, como resultado da medida cautelar oferecida pela entidade da advocacia, o SINTAJ teria que manter 30% do efetivo trabalhando, além dos serviços de urgência e não poderia realizar manifestações em prédios do poder Judiciário. O ato de repúdio foi feito durante os informes à categoria, ocorrido no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), onde os grevistas estão concentrados nesta sexta.
O coordenador geral do SINTAJ, Antônio Jair, considerou a sentença inócua, já que o sindicato vem cumprindo o que obriga a lei de greve e criticou com veemência a postura do presidente da OAB-BA, Luiz Viana. “Repudiamos a ação interposta pelo presidente da OAB-BA, já que essa medida tem objetivos meramente eleitoreiros, visto que esse ano ocorrerão as eleições da referida entidade. Uma ação dessa natureza não tem o menor objetivo do ponto de vista jurídico e prático, já que os servidores, de forma ordeira e extremamente responsável, estão ofertando à população tudo o que a lei lhes garante”, censurou.
Entretanto, Jair tranquilizou os trabalhadores e afirmou que apesar da sentença, a categoria deve continuar o movimento com a mesma força. “Eles estão fazendo isso em razão da pressão recebida pelos advogados, devido aos prejuízos financeiros que eles alegam ter em decorrência do movimento grevista” afirmou o coordenador.
Avanços
Durante os informes, os servidores também foram avisados sobre a reunião com o Diretor Geral da Presidência do TJ-BA, Franco Bahia, ocorrida na tarde desta quinta-feira (20). No encontro, houve um pequeno avanço na pauta de negociações. Bahia afirmou que o presidente da Corte, desembargador Eserval Rocha, autorizou que um representante do SINTAJ acompanhe a elaboração do Plano de Cargos e Salários (PCS) por uma comissão, quando está for formada. Essa reivindicação é um dos pleitos da categoria.
sindicato FORTE, servidor RESPEITADO!
(sic)

Nenhum comentário:

Postar um comentário