loading...

LUIZA

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

SEITA BANIDA DO MEIO EVANGÉLICO ACUSADA DE ESCRAVIZAR E EXPROPRIAR R$ 100 MILHÕES DE FIÉIS

A Operação De Volta para Canaã deflagrada pela Polícia Federal em três Estados prendeu líderes da seita religiosa "JESUS, A VERDADE QUE MARCA" que teriam escravizado fiéis. O grupo teria se apoderarado do patrimônio dos fieis, submetendo-os a trabalhos escravo além de tráfico de pessoas, estelionato, organização criminosa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.
Ao ingressarem na seita, os fieis eram convencidos a doar seus bens sob o argumento da convivência em uma comunidade onde “tudo deveria ser de todos” e obrigados a trabalhar sem pagamento. Os investigadores constatou que o patrimônio da seita supere R$ 100 milhões. Parte do valor teria sido convertido em ‘grandes fazendas, casas luxuosas e veículos importados’.
A operação conta com 190 policiais federais. Os mandados expedidos estão sendo cumpridos nas cidades de Pouso Alegre, Poços de Caldas, São Andrelândia, Minduri, São Vicente de Minas e Lavras, em Minas Gerais, Carrancas, Remanso, Marporá, Barra, Ibotirama e Cotegipe, na Bahia, e até São Paulo.
O Ministério do Trabalho e Emprego e o Ministério Público do Trabalho fizeram inspeções em propriedades rurais e em algumas empresas. Segundo a PF, foi identificado um ‘sofisticado esquema de exploração do trabalho humano e lavagem de dinheiro levado a cabo por dirigentes e líderes religiosos’.
No meio evangélico lideranças ignoram a COMUNIDADE  JESUS, A VERDADE QUE MARCA por contradizer os ensinamentos básicos que constituem a doutrina cristã, incluindo até mesmo a distância quem mantem de outros grupos como a Igreja Católica, Mormons e Testemunhas de Jeová.
ENSINOS HERÉTICOS DO PR ARAÚJO, LIDER SUPREMO DA  COMUNIDADE "JESUS, A VERDADE QUE MARCA"
1.Os que chegam a praticar relações sexuais como marido e mulher, legalmente casados, são constrangidos a confessarem como foi que se deu o ato sexual, relatando as posições tomadas durante
o ato. O ato sexual, entre marido e mulher, só se torna legal se for para procriação. O marido que faz sexo com sua mulher faz dela uma “prostituta do lar”.
2.Os filhos são orientados a chamar a mãe de “prostitutas” e, em caso de reincidência de atos sexuais dos pais, os filhos são aconselhados a abandonarem a casa da família e passar a viver sob à dependência da própria igreja.
3.Os ensinos sobre Deus é que o Deus do Velho Testamento, chamado Jeová, na verdade, é o Diabo. É um Deus mau, que habita em trevas. É o causador de todo o sofrimento humano.
4. O Deus do Velho Testamento não é o Pai de Jesus, do Novo Testamento.
5. A Trindade é definida como sendo três dimensões. Só aceitam Jesus e o Espírito Santo
6.O Velho Testamento foi abolido.
7.O batismo nas águas é efetuado com efeito salvífico, pois os pecados são cancelados apenas na ocasião do batismo e não no momento da conversão.
8.O batismo nas águas, de qualquer igreja, deve ser rejeitado porque os que efetuaram o batismo são homens do pecado.
9.Orientam aos que se filiam à comunidade a fazer uma oração de renúncia abjurando o deus falso Jeová.
8.Estamos vivendo dentro da Grande Tribulação.


O fundador
O Pr. Cícero Vicente de Araújo é apenas conhecido através de seus programas radiofônicos A Marca da Verdade, A Verdade que Marca e declarou em sua defesa na TV ter um rebanho de 15 mil pessoas. Quem era ele antes da sua conversão? Vejamos o que ele nos diz do seu passado. “Quantas vidas destruí por causa da prostituição! Olho para trás com vergonha. Sinto que fui instrumento dos demônios por causa do meu egoísmo. Sinto indignação de mim mesmo, fui instrumento do egoísmo sexual”.
Sua conversão se deu na Igreja Evangélica Fundamento Apostólico (IEFA). Conforme sua declaração ainda em programa de rádio, foi consagrado ao pastorado em 17 de maio de 1996, no templo da IEFA na congregação do Tatuapé, bairro da Capital Paulista. Ficou, depois disso, por mais dois anos nela até que veio fundar sua Comunidade. O fundador e pastor presidente da IEFA era o Pr. Olavo Pereira Silveira que foi mentor espiritual do Pr. Araújo durante o tempo que permaneceu na IEFA. Uma característica do Pr. Olavo era reunir seus obreiros em sítio de sua propriedade e lá ministrar ensinos denominados por ele como “mistérios revelados”. Depois que seus obreiros assimilavam bem suas “revelações” e estavam dispostos a transmiti-los pessoalmente, como também fazer sua defesa diante de opositores, então o ensino era comunicado a toda IEFA. Cabe aqui um parêntese na biografia do Pr. Araújo. O ICP recebeu a carta que ora passa a ser transcrita, em parte.

“CARTA ABERTA À IGREJA NO BRASIL”
Em carta aberta datada de 20 de outubro de 1997 o Conselho Diretivo da IEFA se dirigiu às igrejas evangélicas no Brasil comunicando o seguinte:
“Como pode ser de seu conhecimento, a IEFA – Igreja Evangélica Fundamento Apostólico – foi fundada em 1980 e tem buscado nestes 17 anos realizar a missão para a qual se sentiu chamada como parte do Corpo de Cristo…. “Infelizmente, nos últimos meses vínhamos experimentando algumas dificuldades internas no que tange ao governo e direcionamento de nossa igreja, PRINCIPALMENTE EM FUNÇÃO SURGIMENTO DE ALGUNS ESTUDOS RELATIVOS AOS NOMES E À NATUREZA DE DEUS E SUA MANIFESTAÇÃO NO VELHO TESTAMENTO. Esses estudos, iniciados e desenvolvidos PELO PASTOR OLAVO SILVEIRA PEREIRA, CAUSARAM BASTANTE POLÊMICA E ATÉ MESMO CONFUSÃO EM NOSSO POVO, PELO NÍVEL DE COMPLEXIDADE E QUESTIONAMENTO ASSOCIADOS AO ASSUNTO.”(o maiúsculo é nosso)
Declara mais a citada carta aberta que “… vimos com muita tristeza alguns de nossos irmãos mais caros, entre eles o próprio fundador da IEFA, desligar-se voluntariamente de nossa comunhão para dar prosseguimento a esses estudos.”
Soubemos, posteriormente, que o Pr. Olavo, como conclusão de suas pesquisas, publicou o livro JEOVÁ, FALSO DEUS? Este livro veio trazer o maior celeuma no meio evangélico. Jamais se podia imaginar que um pastor pudesse ter idéias sobre o Deus do Velho Testamento de modo tão oposto ao que é apresentado na Bíblia. É’ que o Deus do Velho Testamento, dentre seus vários nomes ou títulos, tem o de Jeová. (Sl 83.18). Pois não é que o Pr. Olavo identificou o Deus Jeová do Velho Testamento como a figura do Diabo e levou os membros da IEFA, que acreditaram seu estranho ensino, a abjurar publicamente esse Deus Jeová? Assim, ficou conhecido o ensino e transmitido no livro JEOVÁ, FALSO DEUS? que esse Jeová não é o Pai de Jesus. São duas entidades opostas. Esse ensino foi então absorvido pelo Pr. Araújo. Com entusiasmo ele declara suas “revelações” através de seus programas radiofônicos. Ora, tais “revelações” nada mais são do que ele absorveu do seu mentor espiritual – o Pr. Olavo. Os pastores evangélicos que discordam dos seus ensinos são tidos como ‘PICARETAS’. Vangloria-se o Pr. Araújo de nunca ter estudado em seminários ou faculdades teológicas.
Um certo jovem no programa de TV das emissoras já mencionadas declarou textualmente:

“Disse-me ele que eu não poderia ficar na casa minha mãe porque ela era da igreja batista e servia a outro Deus, que é Jeová e ela serve ao diabo e se você ficar com ela também é do diabo e vai tudo para o inferno.”
Que absurdo! A mãe do jovem porque deixou a igreja do Pr. Araújo e passou a congregar-se numa igreja Batista foi acusada de adorar outro deus que é Jeová e por isso ela estava servindo ao diabo! Com essa acusação o Pr. Araújo isso queria que esse jovem abandonasse seu lar, o que ele não concordou.
Outro ensino ministrado pelo o Pr. Olavo, já de longa data, era a proibição do sexo entre marido e mulher sem a finalidade de procriação. Esse relacionamento era tido como sujo. Tal a freqüência na sua divulgação que muitos jovens recém unidos pelos laços do matrimônio dormiam em camas separadas para evitar o desejo sexual. Esse ensino sobre abstinência sexual entre marido e mulher era também indicado nos boletins dominicais sob o título “RENOVO”. O Pr.Araújo segue na mesma trilha.
Um dos ouvintes do programa do Pr. Araújo ligou para a rádio expondo seu dilema em família: seu nome era Carlos. Telefonou de Itapevi (São Paulo) dizendo que estava casado há três meses e que sua esposa não aceitava a “revelação” de dormir separadamente do esposo. Estava havendo brigas entre o casal, mas ele esperava que sua mulher viesse a aceitar a “revelação” do Pr. Araújo. Era revelação realmente dele ou absorvida do Pr. Olavo? Outro ouvinte telefonou quando ele está falando sobre o Espírito Santo e disse que ouviu o ensino sobre a proibição de sexos entre marido e mulher… É interrompido pelo Pr. Araújo, que pergunta: “Estamos falando sobre o Espírito Santo e você vem fazer perguntas sobre o sexo? O sexo é limpo ou sujo?” Responde o ouvinte: é sujo. “Então, o Espírito Santo pode habitar com o casal, se o Espírito Santo é limpo?” O ouvinte concordou então que deveria aceitar a “revelação”.
Outras declarações nos programas de TV foram ouvidas de esposas que já, há seis meses e até um ano, reclamavam de não terem sido procuradas pelos seus esposos porque estes haviam aderido à “revelação”.
Cabe aqui uma declaração bíblica: “Os tais profetas, ó Israel, são como raposas nos desertos. Viram a vaidade e adivinhação mentirosa os que dizem: O SENHOR disse; quando o SENHOR não os enviou; e fazem que se espere o cumprimento da palavra. Porventura não tivestes visão de vaidade, e não falastes adivinhação mentirosa, quando dissestes: O SENHOR diz, sendo que eu tal não falei?”(Ez 13.4,6-7)DECLARAÇÕES COMPROMETEDORAS DO LIVRO
1. “ Se Jeová é o autor das duas medidas de perfeição, então é mentiroso…”(p. 73)

NOTA: 
Jesus identificou o Diabo como o pai da mentira (Jo 8.44). Deus Jeová é apontado como o Deus da verdade, “Nas tuas mãos encomendo o meu espírito; tu me redimiste, SENHOR (JHVH) Deus da verdade.”(Sl 31.5). Só repetindo o que disse o profeta Isaías de tais pessoas que blasfemam de Deus, chamando-o de “mentiroso”. “Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos.”(Is 5.21) Naturalmente estamos nos referindo à sabedoria de que fala Tiago, “… terrena, animal e diabólica.”(3.15)
2. “Jeová estréia no cenário da criação como Deus das maldições.” (p. 29)
3. “Muitos cristãos misturam as trevas de Jeová com a luz de Cristo, isto é, o joio com o trigo.” (p. 41)
4. “Jeremias, nas suas lamentações, acusa Jeová de ser um deus cruel, pois um verdadeiro Deus jamais se torna inimigo dos homens, especialmente de seus filhos, e jamais lança maldições.”(p. 55)
5. “Jesus declara que aqueles que aborrecem os inimigos são filhos de Jeová.”( (p. 55)
6. “Quando Jesus manda orar dizendo: ‘Não nos deixes entrar em tentação, ou cair em tentação. Mas livra-nos do mal’, pode ser entendido assim: não nos deixes cair na mão de Jeová ou na mão do diabo, porque os dois são tentadores. E quando: livra-nos do mal, também deve dizer: Livra-nos do mal do diabo e do mal de Jeová…” (p. 58)
7. “O que se pode esperar de um deus cuja lei manda apedrejar um homem sem lhe dar chance de arrependimento? Muitos crêem que Jeová é o Pai, e por causa do nascimento do Filho unigênito, ficou maravilhosamente bonzinho. Se aconteceu esse milagre, que revela que deus sofre mutações, por que então permitiu no Novo Testamento que os seguidores da lei mosaica apedrejassem Estêvão? Isto prova que Ele não mudou, pois quando era mau, endureceu o coração de Faraó e seu povo, e, quando ficou bom, por que não amoleceu o coração dos anciãos e escribas para não matarem Estêvão? Estêvão foi apedrejado pelos servos de Jeová.”(p. 62)
8. “Se um pai mau é incapaz de um comportamento cruel com o filho, que se pode dizer de um deus que age pior que o homem mau? Só mesmo se estiver interessado em macular o nome do Pai Celestial.”(p.62)
Seriam realmente seus estudos da Bíblia, por cerca de 40 anos, que levaram o Pr. Olavo a publicar esse livro estranho descrevendo o Deus do Velho Testamento como um deus mau, vingativo e identificado do Pai de Jesus? Ou teria ele absorvido os ensinos heréticos do famoso herético Marcion?

MÁRCION DE SINOPE
Não se sabe a data de seu nascimento, embora seja sabido que ele faleceu em cerca de 165 A D. Nasceu ele em Sinope, no Ponto, Ásia Menor. Foi um influente mestre cristão que fundou uma escola gnóstica, que rivalizava com o cristianismo. Foi excluído em 144 A D. Seu movimento, no Ocidente, desapareceu cerca do século IV A D. Mas no Oriente, persistiu até o século VII A D.
Dentre outras, uma das idéias heréticas pregadas por Márcion e hoje pregadas como nova revelação:
Marcion rejeitava o Antigo Testamento como se o mesmo tivesse sido produzido pelo demiurgo, um deus justo e iracundo, que pôs o seu povo sob o império da lei. Esse demiurgo sob hipótese alguma seria o poder divino mais alto, mas seria apenas o Deus do Antigo Testamento; e este mundo, como sua criação, naturalmente tinha seus problemas, porquanto não fora criado pelo poder divino maior. O Deus do Antigo Testamento, segundo Márcion, precisa ser distinguido do Deus mais alto e Desconhecido da revelação neotestamentária. Não é isso o que o Pr. Araújo procura transmitir pelo seu programa de rádio?Declara: “só prego o que está no Novo Testamento.” (o negrito é nosso)

AUTORIDADE INVOCADA
Devemos ter presente que nós, os evangélicos de modo geral, reconhecemos a Bíblia Sagrada como autoridade inquestionável. Não é o que entende o Pr. Araújo. Diz ele: “O Espírito que me revela, prova minha autoridade espiritual. Procure a Comunidade. Sai fora da operação do erro !
Ora, a posição do Pr. Araújo não encontra respaldo na própria Bíblia que ele proclama aceitar. Essa posição é a que tem tomado a IGREJA CATÓLICA ROMANA. “Arroga-se ela ter recebido de Deus o poder exclusivo de ensinar e de interpretar as Sagradas Escrituras. Esta é, a nosso ver, talvez a maior façanha e a mais audaciosa pretensão do Catolicismo Romano!”(Catolicismo Romano à Luz da Bíblia, da História e da Razão, p. 154) As revelações recebidas pelo Pr. Araújo teriam maior autoridade do que a Bíblia? Segundo ele sim, pois coloca suas revelações com autoridade maior do que a Bíblia
Isso certamente contraria a própria Bíblia que aponta:
a)“Buscai no livro do SENHOR, e lede… (Is 34.16) Aqui temos o profeta Isaias ordenando que leiamos a Palavra de Deus e nela aprendamos a sua vontade.
b) “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam.”(Jo 5.39) Estas palavras de Jesus não foram dirigidas ao Pr. Araújo, mas a todos, indistintamente.
c) “E temos, mui firme, a palavra dos profetas, a qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações. Sabendo primeiramente isto; que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.
Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.” (2 Pe 1.19-21)
Pedro exorta seus leitores a estar atentos à Bíblia e proclama que ela não deve ser interpretada particularmente por um homem que se intitula pastor e que dá à Bíblia interpretação particular apoiado em suas “revelações”, principalmente quando essas supostas revelações contrariam a própria Bíblia. E por que? Com a suas novas revelações ele chega ao absurdo em anular o Antigo Testamento.
Diz o Pr. Araújo sobre o Velho Testamento : “Os judeus não ouvem os crentes pregando o Evangelho. Os judeus ouvem os crentes pregando o Velho Testamento. Sabe quando irão aceitar o Novo Testamento? Nunca!” Essa acusação não corresponde à realidade. Os evangélicos pregam sobre a Bíblia inteira do Gênesis ao Apocalipse. Fazem como ensinou Jesus depois de ressuscitado, “E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras.”(Lc 24.27)
Pedro, o apóstolo nos adverte contra heresias de perdição dizendo: “E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.” (2 Pe 2.10) São advertências a respeito de mestres dentro das igrejas que colocam suas “revelações”acima da autoridade da Bíblia.

REFUTAÇÕES DOS ENSINOS DO PR. ARAÚJO
a) Pecado e Confissão de Pecados:
O Pr. Araújo ensina que o homem pode liberar pecados, por isso, os pecados devem ser confessados aos evangelistas da sua comunidade. Caso não o façam não terão o poder de abandonar os pecados cometidos. Ensina ainda que por trás dos pecados existem espíritos que levam as pessoas a cometê-los. Com a confissão desses pecados são feitas orações e esses pecados então não se repetem. Quem não lhe confessar os pecados não pode obter perdão. Ao invés de usar a expressão católica “Confissão Auricular” usa a expressão “Liberar Pecados”, insinuando que essa confissão feita aos homens possibilita a descoberta de espíritos que levaram os crentes a pecar. Usando 1 Jo 2.1-2 ensina que a humanidade já havia sido perdoada por Deus, mas precisava confessar os pecados para homens justos. Como apoio da sua afirmação cita Jo 20.23. O texto em apreço declara, “Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e aqueles a quem os retiverdes lhes serão retidos.”
Sabemos que desde longa data a Igreja Católica, baseada no texto citado, reivindica o direito que os padres têm de perdoar pecados. Após ouvir a confissão auricular ele declara “Eu te absolvo dos teus pecados em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.” Em seguida estabelece uma penitência para o pecador. Ora, ora, agora vem um pastor ensina que os pecados devem ser-lhes confessados e aos seus evangelistas. Do contrário, os espíritos que estão por trás dos pecados, levarão os crentes a serem sempre derrotados e a voltar a cometer os mesmos pecados ou ainda outros maiores. A interpretação correta de Jo 20.23 não nos leva a isso. O poder de perdoar pecados não se deve entender senão no sentido declarativo. A mensagem do evangelho proclama, pela palavra de Cristo: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.”(Mc 16.15-16) Ora, nenhum dos pregadores ao proferir essas palavras pode salvar ou condenar com elas. Apenas declara que, quem não satisfizer as condições de salvação por Cristo estipuladas, por si mesmo já se condenou. Bem como, quem atender à ordem de Jesus, é salvo, pela sua fé depositada nele. É o que disse Paulo ao carcereiro de Filipos, quando interrogado sobre o que deveria fazer para ser salvo. “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e a tua casa.” (At 16.31). Assim, se não é o pregador quem condena ou quem salva, segue-se que ele não tem poder, de si próprio,nem para condenar nem para perdoar; portanto, seu poder é apenas declarativo. Tanto é assim que Jesus ao declarar ao paralítico, “Filho, perdoados estão os teus pecados”(Mc 2.5) o incriminaram como blasfemo. Disseram, “Quem pode perdoar pecados, senão Deus?”(Mc 2.7) No caso de Jesus eles não aceitaram sua declaração de ser Deus (Jo1.1; 10.30-33; 20.28), julgando-o mero homem e, para eles, a declaração de Jesus lhes parecia blasfêmia. (Catecismo Romano à Luz da Bíblia, da História e da Razão, p. 144).
Os judeus conheciam o Antigo Testamento onde consta o seguinte, “Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro.”(Is 43.25) e logo não podiam aceitar a declaração de Jesus. E o que dizer então desse ensino católico de que homens podem perdoar pecados? Tanto é errado o ensino da confissão auricular como também o do Pr. Araújo de “liberar pecados” . Ademais, o coração do crente é o templo do Espírito Santo e jamais pode ser habitação de Satanás (1 Co 3.16) Lemos mais em l Jo 5.19, “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca.”
Com relação Tg 5.16, “Confessai as vossas culpas uns aos outros…”, a confissão de pecados nesse texto tem conotação com às pessoas por nós ofendidas ou prejudicadas. Isto é visto em Mt 18.15, “Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão.”
No caso de Mt 3.6, “E eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados.”, as pessoas iam ao batismo de João e num ato público antes do batismo faziam suas confissões. Não havia nada parecido com a confissão de pecados em particular aos evangelistas desse pastor. Repetimos: confissão aberta e publicamente.b) Proibição de Sexo dentro Casamento:
Expusemos linhas atrás que o Pr. Araújo dando seu testemunho de conversão revelou algo constrangedor do seu passado ligado ao sexo desenfreado; “Quantas vidas destruí por causa da prostituição! Olho para trás com vergonha. Sinto que fui instrumento dos demônios.” Expusemos também que essa intransigência, com relação ao sexo entre marido e mulher, era decorrente do ensino do seu mentor espiritual o Pr. Olavo. A interrupção do sêmen para evitar filhos interrompe a presença do Espírito Santo pois o ato sexual é sujo e existem pessoas que gostam da sujeira. Declara mais: “Segundo a essência de Satanás o homem só se preocupa em não ter filho.” Acrescenta mais sua crítica, “ Existem os que gostam da sujeira. Se o sexo não tiver a finalidade da procriação então serve para matar o sêmen do homem em vida. E´ uma vida e uma alma que está sendo morta.”
Contrariando tal ensino, é preciso ter presente que a mulher normalmente produz um só óvulo durante cada ciclo menstrual. O óvulo tem uma vida ativa de apenas 24 horas e é somente durante esse período que pode ser fertilizado pelo espermatozóide. O espermatozóide consegue viver apenas cerca de 48 horas, após ser liberado no órgão feminino. É somente durante esse período de dois dias que ele pode fertilizar o óvulo. Assim, há apenas três dias por mês em que a relação sexual pode produzir uma gravidez – os dois dias que precedem a liberação do óvulo e todo o dia que segue esse evento. Se o casal consegue não ter relações sexuais durante esses dias, teoricamente não corre risco de engravidar. É bom deixar claro que a relação sexual no casamento não tem como propósito único a procriação. Foi por isso que Deus fez a mulher com um período fértil durante o mês. Se o ato sexual fosse apenas para conceber filhos, a mulher estaria pronta para engravidar todos os dias.” . Deus não quer que um casal coloque no mundo um número de filhos que não pode criar, educar e sustentar com dignidade. (Mensageiro da Paz, nov. 2002, p.11)
O que ensina a Bíblia sobre o prazer no ato sexual entre marido e mulher? Será realmente que a Bíblia ensina que sexo deve ser feito só para procriação? Vejamos o que diz a Bíblia:
“Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade. Como cerva amorosa, e gazela graciosa, os seus seios te saciem todo o tempo; e pelo seu amor sejas atraído perpetuamente. E porque, filho meu, te deixarias atrair por outra mulher, e te abraçarias ao peito de uma estranha?” (Pv 5.18-20)
O que vemos então no texto em tela é que o sexo fora do casamento é impróprio e proibido por Deus, mas não o sexo dentro do casamento. Paulo recomenda abstenção do sexo dentro do casamento apenas quando os cônjuges entre si concordam na separação de corpos para um tempo de busca a Deus com mais intensidade. Isto é lido em 1 Co 7.5, “Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.” Exatamente contra o ensino desse pastor, uma separação de casais pode dar margem à tentação de levar um dos cônjuges ao pecado. Imagine um marido recém casado não poder dormir com sua legítima esposa? Se existe uma empregada simpática em casa, ele pode ser tentado a dormir com ela. Enquanto isso, diz a Bíblia, “ Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém aos que se entregam a prostituição (sexo antes do casamento) e aos adúlteros (sexo fora do casamento por parte de qualquer dos cônjuges), Deus os julgará.” (Hb 13.4) Esse ensino sobre abstenção sexual entre casados é considerado por Paulo como ensino de demônios: “Proibindo o casamento… (1 Tm 4.3)
C) Os filhos não devem respeitar os pais:
Declaração de um jovem, ex-membro:
“Ele disse que só aconselha os filhos abandonarem os pais quando o filho apanha.” Eu nunca apanhei da minha mãe e fui conversar com ele, pois me mandou chamar. Disse-me que eu não poderia ficar na casa minha mãe porque ela é da igreja batista e serve a outro Deus, que é Jeová e ela é do diabo e se você ficar com ela também é do diabo e vai tudo para o inferno. Minha mãe é uma pessoa digna, uma pessoa honesta.”
Ensina o Pr. Araújo que os filhos de casais que reconhecidamente durmam juntos e façam sexo como marido e mulher, não devem ser respeitados por seus filhos. Valendo-se de Mt 10.37, “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim”, recomenda aos filhos dessa situação a que abandonam suas casas e não mais reconheçam seus pais legítimos, passando ele a ser considerado pai desses jovens. Passam estes a morar em casas de membros ou casas alugadas pela igreja e assim não mais visitam os pais.
Deixam de lado o que Paulo ensinou em Ef 6.1-2, “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa.” “Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou fé, e é pior do que o infiel.”(1 Tm 5.8)
Com relação a Mt 10.37 é preciso ter presente que Jesus não está ensinando a ter ódio contra a família. Mostra, sim, que o amor natural que temos pelos nossos parentes, em comparação com o amor que temos por Cristo e sua mensagem, não deve ser maior. Não é confronto entre amor e ódio. Não é ódio aos parentes comparados com o amor a Cristo. Comparemos agora o ensino de Cristo com o do Pr.Araújo sobre o procedimento que devem ter os filhos para com seus pais mesmo quando não compartilhem de suas idéias religiosas.
Um filho, membro da igreja do Pr. Araújo o interroga acerca do procedimento que deve ter com seus pais por estes não aceitarem sua ligação com essa Comunidade:
Em fita K-7 gravada e transmitida pela TV Bandeirantes no dia 30 de outubro de 2002 ouvimos: “Pastor: o que eu faço com o meu pai? Eu gosto tanto dele. Foi ele que me deu a vida. Mentira! Ele não te deu nada. Ele te botou nesse mundo porco, imundo e para você pecar e ser filho do diabo. A vida quem está te dando é Cristo para salvá-lo para a vida eterna. Então pega o seu pai e diz: Pai, o Sr. não aceita a Cristo como seu Salvador? Pai, sinto muito, bai, bai. Pastor! o sr. está mandando sair da minha casa? Sim, eu não mas Jesus. E com respeito à sua mãe é recomendado dizer: E minha mãe? gosto tanto dela. Ela sofreu tanto. Me carregou no ventre nove meses. Ela me deu a vida.Mentira! Ela te botou no pecado…” 
d) Batismo nas águas para perdão de pecados:
Ensina pr. Araújo que “o homem do pecado é o crente que se batizou dentro do ser humano. Pergunta ele: “Quem é o homem do pecado?” E responde: “O homem do pecado é o crente que se batizou debaixo da apostaria e quer se converter. Um batismo feito por um homem que está fora da “revelação” do Novo Testamento não tem validade. Não sabe que entrou debaixo do engano. O homem do pecado está dentro da igreja.”
Entende, então, que qualquer batismo realizado por pastores denominacionais, que não aceitam sua autoridade recebida por “revelações divinas”, são considerados como “homem do pecado”, expressão essa extraída de 2 Ts 2.3. Isso constitui uma blasfêmia! Ensinar que os pastores denominacionais são o “o homem do pecado”? Esta expressão se refere ao anticristo.
Pergunta aos seus ouvintes, “Será que o batismo dessas pessoas tem validade?” “São milhões de crentes que andam enganados!” E por que enganados no conceito do Pr. Araújo? Porque ele ensina o batismo regeneracional. O perdão de pecados não se dá no arrependimento como ensina o apóstolo Pedro ao dizer a multidão que se constrangeu com a sua pregação, “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor.”(At 3.19)
Seguindo nas pegadas do seu mentor espiritual – Pr. Olavo – ensina que até o ladrão que estava ao lado de Jesus na cruz, foi batizado. Ensina que o ladrão tivera um encontro com Cristo e se tornara seu seguidor tendo sido batizado na ocasião. Depois se entregou às autoridades para pagar o seu débito com a sociedade. Foi condenado à morte de Cruz e lá chamou Jesus de Senhor. Assim, ele já era discípulo de Jesus e não se converteu na cruz. Morreu batizado. Entretanto, o texto paralelo de Mt 27.38-39, 44 aponta a situação dos dois ladrões: “E foram crucificados com ele dois salteadores, um à direita, e outro a esquerda. E os que passavam blasfemavam dele, meneando as cabeças. E o mesmo lhe lançaram também em rosto os salteadores que com ele estavam crucificados.” O ensino do Pr. Araújo de que o ladrão fora batizado antes da cruz, não tem o menor apoio da Bíblia. O batismo não salva e nem ajuda a salvar. O batismo é uma profissão de fé pública da nossa aceitação de Cristo. A salvação ocorre na confissão da aceitação de Jesus Cristo como Salvador pessoal, de acordo com Rm 10.9-10. O batismo segue-se à salvação. Disse Jesus em Mt 16.15-16: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem não crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” A parte do v. 16 é clara, “… quem não crer será condenado.” O texto não declara, “quem não for batizado será condenado”, mas estabelece que apenas será condenado quem não crer. Crendo realmente em Cristo haverá o desejo de atender à exigência de Jesus em Mt 28.19 de se batizar por imersão dentro da fórmula trinitária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário