loading...

LUIZA

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Conselho Municipal reforça política pública antidrogas em Itabuna

Os 20 conselheiros titulares e suplentes indicados por instituições da sociedade civil foram empossados no final da tarde de quarta-feira, dia 14, Conselho Municipal Antidrogas de Itabuna em ato presidido pelo secretário de Assistência Social, Francisco Edes Batista. Criado com a finalidade de fomentar e supervisionar políticas públicas de combate ao uso de drogas, a instituição também pode contribuir com a estrutura técnica necessária para que os centros de reabilitação e comunidade terapêuticas que atendem usuários estejam de acordo com as exigências estabelecidas pelo Ministério da Saúde.
Formado por diversos segmentos da sociedade civil e representantes do poder público o Conselho Municipal Antidrogas também vai executar o levantamento e fornecer suporte técnico às instituições que cuidam de dependentes químicos. O trabalho envolverá ainda o fortalecimento de diversas ações planejadas e de suporte ao Programa “Crack, é Possível Vencer”, coordenado pelo Ministério da Justiça e desenvolvido em parceria com outros ministérios e instituições voltado para prevenção às drogas.
Para o secretario de Assistência Social, Francisco Edes Batista, o Conselho Antidrogas vai atuar de forma integrada, ordenada e ativa. “Agora nós temos um grupo que irá pensar e buscar junto às três esferas do poder público soluções para os problemas e as situações decorrentes do uso das drogas. A ferramenta de prevenção é a informação. O Conselho conta com representantes de diversos segmentos com o educação, saúde e segurança. Não será um trabalho fácil, mas seremos ativos na proteção dos dependentes e da sociedade”, explicou.
Para o presidente interino do Conselho Municipal Antidrogas, Marcelo Moura, que há 21 anos se mantem livre do vicio da droga e conhece de perto a realidade dos dependentes químicos, com a implantação da instituição e posse dos conselheiros Itabuna terá planejamento a médio e longo prazos para enfrentar as questões relativas às drogas. “Já realizamos um trabalho com o Centro de Atenção e Prevenção às Drogas (CAPS-AD). A partir de agora vamos ampliar a atuação, envolvendo a prevenção, o trabalho educativo, a saúde com o tratamento dos usuários pelos CAPS, centros de recuperação e reabilitação e comunidades terapêuticas ”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário