loading...

LUIZA

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Globo Natureza mostra o Babaçu de Jacobina para o Brasil



Jacobina volta a ser destaque na programação nacional da Rede Globo de Televisão. Desde o início do mês de outubro, várias inserções avulsas na grade de programação da emissora têm destacado no Globo Natureza o trabalho das catadoras do Coco Babaçu, na comunidade de Cocho de Dentro.
Ilustrada de belas imagens feitas na região do Cocho, o áudio do Globo Natureza conta a história da palmeira e explica como é feita a extração e o beneficiamento do Babaçu. Veja em:
http://g1.globo.com/natureza/videos/t/globo-natureza/v/globo-natureza-babacu/4512258/
A descoberta das catadoras de Babaçu pelo Globo Natureza se deu após o trabalho da Associação Comunitária de Moradores e Agricultores de Cocho de Dentro (ACMCD), ter sido mostrado nos programas Bom Dia Bahia e Bahia Rural, ambos da Rede Bahia de Televisão, em junho deste ano.
Cocho de Dentro - O Cocho de Dentro se destaca não só pela produção e beneficiamento do fruto da palmeira, como também como uma das principais áreas para a prática do turismo ecológico e de aventura do município. Considerada uma das regiões mais bonitas de Jacobina, abriga quase que intacta sua fauna e flora, dividindo espaço com pequenas cachoeiras e serras exuberantes.
ACMCD – A Associação foi fundada no início do ano de 2000 com o objetivo de promover o desenvolvimento comunitário e a melhoria da qualidade de vida dos cerca de 150 moradores da comunidade.
A secretária da entidade, Kátia Cristina Novaes Leite, comemora os resultados positivos que a “aparição” nos programas de televisão tem proporcionado. Segundo ela, a procura pelos cosméticos e os artesanatos (biojóias) produzidos na Unidade Comunitária de Beneficiamento de Coco Babaçu, tiveram um aumento extraordinário. “Estamos fornecendo nossos produtos para todo o Brasil; o telefone não para de tocar após as veiculações do nosso trabalho na Rede Globo”, comemora.
Em texto postado em sua página na internet a ACMCD ressalta: “Há séculos as palmeiras imponentes, carregadas dos dourados babaçus, erguem seus braços majestosas no Vale do Cocho. Em nossa região é mais comum vermos licurizeiros e outros tipos de cocos. Mas os babaçuais caprichosamente se instalaram em nossa comunidade, trazidos não sabemos por que ventos ou animais. Nesses séculos de existência, além da beleza visual que proporcionam aos moradores e visitantes, seus atributos eram negligenciados, seus cocos, simplesmente vendidos para a queima em olarias ou utilizado por algumas famílias na produção de óleo para consumo próprio”.
Babaçu (Orbignya phalerata, Mart.) - É uma planta da família das palmáceas Arecaceae, dotada de frutos drupáceos com sementes oleaginosas e comestíveis das quais se extrai um óleo, empregado sobretudo na alimentação, além de ser alvo de pesquisas avançadas para a fabricação de biocombustíveis. Do broto, se extrai palmito de boa qualidade, o fruto, enquanto verde, serve para defumar a borracha. Quando maduro, a parte externa é comestível. Das folhas e espatas se fabricam esteiras, cestos, chapéus, entre outros produtos.
O babaçu é uma planta comum nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, sendo fonte de sustento econômico para diversas famílias. Isso acontece porque todas as partes da palmeira podem ser aproveitadas, desde o caule até as flores, passando pela casca dos frutos. Uma pesquisa da Faculdade de Farmácia e do Instituto de Química da UFRJ estuda agora as propriedades fitoterápicas da folha desta planta. De acordo com os pesquisadores, o babaçu pode conter substâncias analgésicas, antioxidantes e anti-inflamatórias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário