loading...

LUIZA

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Itabuna reúne municípios e entidades para debater grave seca

A Prefeitura de Itabuna, com apoio do Governo do Estado, aumentou os investimentos para amenizar os prejuízos causados no campo pelo longo período de estiagem e para garantir à população água potável. Dentre as principais medidas adotadas pelo município no curto prazo estão o bombardeamento de nuvens, por um período de 30 dias, e a contratação de mais 40 caminhões-pipas por 90 dias, principalmente para atendimento aos moradores dos bairros em situação mais crítica.
De acordo com o plano de trabalho elaborado pela Prefeitura nos próximos dias também será iniciada a limpeza de represas e aguadas. Além disso, está programado o bombardeamento das nuvens para provocar a precipitação de chuvas artificiais com o uso de produtos químicos ou gotejamento de água. A ação será executada em parceria com outras prefeituras, produtores de cacau e agropecuaristas do sul da Bahia.O trabalho será realizado pela ModClima, empresa especializada que já iniciou o processo de bombardeamento de nuvens na região de Castelo Novo, onde fica uma das estações de captação de água de Itabuna. “A Prefeitura está adotando todas as medidas possíveis para amenizar os efeitos de uma das piores secas da nossa história”, afirma o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Lanss Almeida Filho. Inicialmente, a Prefeitura está entrando com suporte financeiro de R$ 60 mil.
REUNIÃO
Nesta segunda-feira, 14, o secretário Lanns Almeida debateu detalhes das ações adotadas pela Prefeitura de Itabuna para amenizar os efeitos da estiagem com representantes das prefeituras de Ilhéus, Santa Luzia, Pau Brasil, Buerarema e Uruçuca, dirigentes da Associação dos Municípios da Região Cacaueira da Bahia (AMURC), de sindicatos rurais, associações de produtores de cacau e de entidades como Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Ceplac, Bahiater e vereadores. O encontro foi na sede da Amurc.
O Lanns Almeida repassou aos participantes as informações e pediu a colaboração de todos para que os municípios consigam enfrentar a situação de emergência pela qual a região atravessa, com cerca de 150 dias sem chuvas. A recomendação é para que as prefeituras de municípios que estão sofrendo mais com a severa estiagem façam levantamento e, se necessário, decretem estado de emergência, para que o Governo do Estado possa auxiliá-las no abastecimento da população.
Durante o encontro, agricultores, agropecuaristas e secretários municipais de Agricultura fizeram depoimentos assustadores sobre queimadas de pastagens e lavouras em municípios como Itabuna, Ilhéus, Buerarema, Jussari e Pau Brasil. Produtores chegaram a afirmar que em algumas regiões existem colegas aproveitando a situação para transformar áreas de plantio de cacau em pastagem, aumentando ainda mais desmatamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário