loading...

LUIZA

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Marcha em Brasília defende mais recursos para o SUS


Parlamentares se uniram aos participantes da 15ª Conferência Nacional de Saúde na Marcha em Defesa do SUS nesta terça-feira (1º/12) no ato político em frente ao Congresso nacional. E engrossaram o coro em defesa da taxação das grandes fortunas, rendas e herança para garantir o financiamento da saúde pública: “um direito do povo e dever do Estado”, repetiram todos os oradores.
Ramila Moura
A deputada Jandira Feghali (RJ) saudou os manifestantes: “É importante que vocês estejam aqui para dizer ao Congresso Nacional que não queremos privatizar o SUS."  A deputada Jandira Feghali (RJ) saudou os manifestantes: “É importante que vocês estejam aqui para dizer ao Congresso Nacional que não queremos privatizar o SUS."  
A presidenta nacional do PCdoB, deputada Luciana Santos (PE), destacou a importância da manifestação para garantir a votação e aprovação de matéria de interesse do setor. E por isso, saudou todos os participantes da marcha, que mantém a luta em tempos difíceis como os atuais, de atuação de uma maioria conservadora no Congresso nacional, que ameaça as conquistas do povo brasileiro.



Também a líder do PCdoB na Câmara, deputada Jandira Feghali (RJ), participou da manifestação e saudou os participantes que “numa atitude de combate e solidariedade de todos os estados que cuidam da vida das pessoas”, em referência aos cuidados dos profissionais de saúde e a luta deles pela garantia de recursos para a oferta dos serviços médicos para o povo brasileiro.
“É importante que vocês estejam aqui para dizer ao Congresso Nacional que não queremos privatizar o SUS, não queremos a PEC do (Eduardo) Cunha, que criminaliza os profissionais e de saúde e quem cuida da saúde das mulheres vítimas de violência”, em referência ao projeto de lei do Presidente da Câmara que dificulta o atendimento médico às mulheres vítimas de estupro.
Representante da Associação Latino-Americana de Medicina Social e Saúde Coletiva também manifestaram apoio à luta do povo brasileiro, destacando que o SUS é uma referência entre todos os países da América Latina, que estão privatizando a saúde. O povo da América Latina defende o SUS pelo direito universal da saúde, anunciaram.
Outros parlamentares, como as deputadas Ângela Albino (PCdoB-SC), Odorico Monteiro (PT-CE) e Jorge Solla (PT-BA), também manifestaram apoio à marcha e reafirmaram propósito de lutar pelas matérias de interesse do setor, citando o Brasil + 10, de iniciativa popular, que obriga a União a investir 10% da receita corrente bruta na saúde pública.

Conferência Nacional

A Marcha teve o propósito de chamar a atenção da sociedade e do Congresso Nacional para o funcionamento da saúde pública, respeitando a democracia e a qualidade. A ação é realizada no dia da abertura da 15ª Conferência Nacional de Saúde que será aberto na noite desta terça-feira (1º) e vai até o dia 4 de dezembro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.
“Saúde Pública de Qualidade para Cuidar bem das Pessoas: Direito do Povo Brasileiro” é o tema do evento. A conferência tem como foco estabelecer a saúde como direito humano e constitucional, garantir que todos tenham acesso integral e sejam tratados como iguais no Sistema Único de Saúde. Outro ponto da conferência é o fortalecimento da participação social no SUS. Para chegar à conferência nacional foram realizadas etapas municipais, regionais e estaduais.


De Brasília
Márcia Xavier

Nenhum comentário:

Postar um comentário