loading...

LUIZA

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

PRF: Órgão já reenviou pedido de concurso para 1.500 vagas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou à FOLHA DIRIGIDA que já reapresentou o pedido de autorização de concurso para 1.500 vagas de policial rodoviário federal, conforme orientação do Ministério do Planejamento após anunciar a suspensão das seleções federais em 2016. Com o ministério tendo admitido a possibilidade de autorizar novos concursos este ano, a expectativa é que o departamento obtenha a permissão pleiteada desde 2014. As liberações poderão ocorrer em casos de emergência ou grande necessidade, caso da PRF, que, em dois anos, poderá perder 4 mil policiais, o equivalente a cerca de 40% do efetivo atual.Para ingressar no cargo de policial rodoviário federal é necessário possuir o ensino superior completo em qualquer área e carteira de habilitação, na categoria B em diante. O cargo é aberto a homens e mulheres e proporciona estabilidade, devido às contratações via regime estatutário. A remuneração inicial é de R$7.092,91, incluindo auxílio-alimentação, de R$373. Os recém-concursados são lotados, prioritariamente, nas regiões de fronteiras. E a necessidade de reforçar a presença da PRF nas fronteiras é outro fator que pode influenciar a autorização do concurso ainda em 2016. Uma auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) apontou que o efetivo do departamento na região é insuficiente para combater os crimes de fronteira, cujo prejuízo estimado é de R$1 bilhão aos cofres públicos.
Em novembro do ano passado, o órgão obteve permissão para nomear 579 excedentes (aprovados além do número de vagas prevista em edital) do concurso aberto em 2013, justamente em função da necessidade de melhorar a fiscalização preventiva e repressiva aos crimes transnacionais, nas regiões Norte e Centro-Oeste. Os novos policiais deverão ser nomeados em maio, quando termina a validade da seleção. Embora demonstre cautela com relação à liberação do concurso este ano, o chefe de gabinete da Direção-Geral e ex-coordenador-geral de Recursos Humanos da PRF, Adriano Furtado, já observou que as autorizações obtidas pelas departamento têm se dado em cima dos resultados alcançados e destacou que a corporação já acumula quatro anos consecutivos de reduções de mortes nas rodovias federais. Segundo ele, até o fim 2015 a PRF já havia chegado a uma redução de mais de mil óbitos nas estradas, em comparação com o mesmo período de 2014, sem considerar o aumento de frota.
Já o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, argumentou no pedido de autorização encaminhado ao Planejamento que a nova seleção é a única saída para a grave crise de efetivo vivida pelo departamento. A falta de policiais tem colocado em risco a vida de servidores, que, em menor números nos plantões, ficam mais vulneráveis a ações de criminosos, além de provocar o fechamento de postos da PRF em vários locais do país. A defasagem ainda ameaça o compromisso assumido pelo país com a Organização das Nações Unidas (ONU) para reduzir à metade o número de acidentes de trânsito até 2020. A seleção de 2013 foi organizada pelo Cespe/UnB, por meio de provas objetivas e discursivas (confira nesta página o conteúdo programático das avaliações), exame de aptidão física, avaliações médica, psicológica e de títulos, além de investigação social e do curso de formação. O exame físico foi composto pelos testes de flexão em barra fixa, de impulsão horizontal, de flexão abdominal e de corrida de 12 minutos. Inicialmente, foram oferecidas mil vagas, atraindo um total de 109.769 inscritos (cerca de 110 candidatos por vaga).
Mestre

Nenhum comentário:

Postar um comentário