loading...

LUIZA

sexta-feira, 8 de abril de 2016

FUNCEB celebra a Dança no Mês de Abril

Para celebrar o 29 de abril, Dia Internacional da Dança, a Escola de Dança da FUNCEB apresenta O projeto Portas Abertas, em vários espaços da cidade, encerrando a programação comemorativa no dia 29, às 18h30, com Cortejo Performático de 400 alunos, saindo do Terreiro de Jesus e indo até a Cruz Caída. Esta é uma da série de ações realizadas pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), para comemorar a data. O Balé Teatro Castro Alves (BTCA), a Escola de Dança e a coordenação de Dança da FUNCEB realizam apresentações, documentários, aulas, cortejo e apoio a projetos, como o Festival VivaDança, registrado pela Diretoria de Audiovisual (Dimas) da FUNCEB. No Domingo do TCA do dia 10.04, o Projeto “DANCIDADE” reunirá 30 grupos de valsa de Salvador.Algumas atividades já acontecem e seguem até o final do mês, em diversos espaços. É o caso da exposição montada pelo BTCA no foyer do TCA, até o final do mês, e que integra o projeto Memórias em Movimento - BTCA 35 anos comemorativo do aniversário da companhia de dança oficial do estado. A celebração agrega às iniciativas do Mês da Dança da FUNCEB, potencializando o alcance e a valorização da produção no setor, reafirmando a importância desta linguagem artística na vida dos baianos, reforçando as políticas públicas para a área e chamando atenção para o trabalho e as questões de quem faz dança na Bahia.
Na Escola de Dança a programação inclui Bate-Papo com o Balé do Teatro Castro Alves; Seminário Ilustrado falando da História da Escola da FUNCEB, com Lia Robatto, Ângela Dantas, Lúcia Mascarenhas, Simone Najá e Beth Rangel, Documentário sobre figuras da Dança na Bahia e Bate-Papo com Jorge Silva. Também acontecerá uma palestra sobre Políticas Públicas para a Dança com Matias Santiago, coordenador de Dança da FUNCEB, e com a dançarina Clara Trigo, além do Cortejo Performático com alunos, professores e grupos residentes. As atividades na Escola começaram no dia 6.04, com acesso gratuito para alunos e a comunidade em geral, das 18h30 às 20h30.

Programação Escola de Dança da FUNCEB
A programação da Escola de Dança começou na quarta-feira, 6.04, com Cirandas, no Espaço Céu da instituição. A professora Isis, de Danças Populares, interagiu com alunos do nível 1 do Curso Preparatório. Na quinta-feira, dia 7.04, 70 alunos do Curso Profissional participaram da Sessão Especial da IV Semana da Dança, da Assembleia Legislativa da Bahia. A batalha de Break entrou em cena no dia 08.04, com a Sexta em Movimento. A dança no hall da Escola atraía todos que passavam pelas redondezas, principalmente turistas visitantes do Pelourinho.
Nos dias 12 e 13.04, sexta e sábado, 15h, é a vez do Projeto Pé de Feijão com a atividade “Da Ponta da língua à ponta do Pé”, que acontece no Teatro Vila Velha para sessenta alunos do nível 3 A & B. No dia 13.04 também acontece a Mostra de Solos em Processo Nível 8 do curso preparatório no Hall da Escola de Dança, às 14h e apresentação de um vídeo-dança com a professora Denise Torraca para alunos de Iniciação I, nível I e II e preparatório no Solar São Dâmaso, no Centro de Formação em Artes, das 15h às 17h.
No Museu Emília Biancardi, aula e apreciação do seu acervo para alunos níveis 5 e 6 com a professora Roquidelia, dia 14.04, domingo, das 15h às 18h. Apresentação dos alunos da professoras Nilmara e Simone Lizete acontece na Casa do Comércio (Avenida Tancredo Neves), dia 14.04, 19h. Coreografias e entrevistas serão apresentadas no programa MultiCultura da TV Educativa da Bahia. A gravação será dia 19.04, 14h às 16h, no estúdio da emissora.
De 25 a 29.04, pela manhã e pela noite, a Escola de Dança ficará com as portas abertas para quem quiser assistir ou fazer aulas regulares com alunos da casa. O Balé Teatro Castro Alves também participa com o bate-papo Memórias BTCA no Espaço Céu da Escola, dia 25.04, com capacidade para 200 alunos. Ainda com data a ser definida, se apresenta o projeto Pílulas Dançadas, do BTCA, na Escola.
Matias Santiago, coordenador de Dança da FUNCEB, e a dançarina Clara Trigo fazem a Noite do Aluno com sessão de bate-papo, também no Espaço Céu, dia 26.04. Pra quem gosta de documentário seguido de bate-papo pode conferir Quem Te Viu Quem Te vê, com Jorge Silva, dias 27 e 28.04. Um seminário ilustrado com as ex-diretoras da Escola de Dança, Lia Robatto, Ângela Dantas, Lucinha Mascarenhas, Simone Najar e Beth Rangel que falarão sobre a experiência com a instituição, ocorrerá no dia 28.04, no espaço Céu da Escola, com capacidade para 200 pessoas.
Dia 29.04, 9h às 11h, será dada oficina da modalidade jazz com Luciene Munecata. A atividade, gratuita para alunos, custa vinte reais para quem é de fora. Com capacidade para 80 pessoas, a aula acontecerá na sala 1 da Escola. Um cortejo performático com cerca de 400 alunos da Escola de Dança da FUNCEB seguirá do Terreiro à Cruz Caída celebra o dia Internacional da Dança no dia 29.04, às 18h30. 

Domingo no TCA
Com o objetivo de celebrar o mês da dança, o projeto “Domingo no TCA” apresenta para o público baiano no próximo dia 10 de abril (domingo), às 11h, na Sala Principal do TCA, o Projeto “DANCIDADE”. Com curadoria de Warney Junior, João Perene e Virgínia Da Rin, a apresentação reúne cerca de dez Grupos de Valsa de Salvador. Os ingressos para conferir o projeto custam R$ 1 (inteira) e R$ 0,50 (meia) e serão vendidos somente no dia do espetáculo, a partir das 9h, com acesso imediato do público.
Sabe-se da existência de mais de 30 Grupos de Valsa em Salvador, formados por jovens, em geral, provenientes de bairros populosos e periféricos da cidade. O Projeto “DANCIDADE” tem como proposta reunir alguns destes grupos de valsa e levar a dança para públicos diversos, especialmente em espaços públicos ou a preços populares. Esses grupos se dedicam à criação de seus espetáculos, elaboração e confecção dos seus figurinos, maquiagem e todos os detalhes destas apresentações.

35 Anos BTCA

Em 2016, o BTCA realiza uma série de ações comemorativas que incluem a criação de novas coreografias; apresentações em Salvador e no interior do Estado; parcerias com instituições de ensino como a Universidade Federal da Bahia e a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública; aulas e workshops gratuitos abertos ao público; a formação e experiência em dança em parceria com a Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado e com o Cine-Teatro Lauro de Freitas; seminários públicos envolvendo a pesquisa em dança e a saúde do bailarino; dentre outros projetos e atividades junto à comunidade soteropolitana.
Num período marcado por celebrar a dança e ainda os seus 35 anos de trajetória, o Balé do TCA apresenta ao público um documentário cênico, parte do projeto Memórias em Movimento - BTCA 35 anos. O documentário multilinguagens – dança, textos, conteúdos audiovisuais – conta a história do grupo, utilizando-se de imagens de antigas coreografias e coreografias executadas ao vivo. Além disto, a cena trará também depoimentos ao vivo e entrevistas em vídeo e homenagens com a participação de artistas, técnicos, coreógrafos, personalidades e pessoas que, direta ou indiretamente, contribuíram na construção dessa história.

Apoio ao Festival VivaDança
Para o Festival VivaDança, que segue até o dia 29, a coordenação de Dança da FUNCEB articulou com a Diretoria do Audiovisual da FUNCEB (Dimas) a cobertura audiovisual do Festival, para fins de registro. “Faz parte das atribuições da coordenação de dança fazer a mediação no sentido de potencializar as ações que já acontecem na sociedade civil. Estamos ‘atenados’ e uma das funções é articular com outras coordenações, afirma o coordenador de Dança da FUNCEB, Matias Santiago.
O Festival, que leva ao público o que há de mais diverso na dança do Brasil e do mundo, tem este ano como destaque a Mostra Hip Hop em Movimento, a Mostra Casa Aberta, a Mostra Baiana de Dança Contemporânea, além de exposições, oficinas, workshops e mesas redondas. Tudo isso sem contar com espetáculos de destaque da dança nacional e internacional. Para Bertrand Duarte, diretor da Diretoria do Audiovisual, é importante que as linguagens artísticas tenham interação. “Também fizemos uma cobertura do aniversário do Balé do TCA, que vai gerar um conteúdo específico da TV Dimas. Precisamos empreender novos esforços e estrutura para TV falar sobre todas as linguagens além do audiovisual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário