loading...

LUIZA

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Ilhéus conta com atendimento especializado em Hematologia



A Hematologia é a especialidade médica que estuda e trata doenças do sangue de órgãos hematopoiéticos (medula óssea, gânglios linfáticos, baço efígado). As doenças que afetam o sangue podem ser benignas como, por exemplo, as anemias carenciais, as doenças falciformes e as doenças de coagulação. Também podem ser malignas, como cânceres no sangue: leucemias, linfomas e mieloma múltiplo.
Em Ilhéus, a clínica AMO – Assistência Multidisciplinar em Oncologia, conta com uma médica especialista em Hematologia, a Dra. Emilia Carolina Malafaia. Formada pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, fez residência em Hematologia e Hemoterapia na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Tem Doutorado na UNIFESP e Fred Hutchinson Cancer Research Center (Seattle, USA).
Em entrevista, a Dra. Emilia Carolina Malafaia, especialista em Hematologia, esclarece aos leitores, algumas questões que envolvem as doenças do sangue. Aborda sobre sintomas, causas, tipos de cânceres, tratamentos e sinais de alerta para a saúde. Atualmente, a médica atua exclusivamente na clínica AMO, em Ilhéus. Confira as informações repassadas pela Dra. Emilia.

Qual o principal motivo das consultas em hematologia?
“A anemia é o principal motivo que leva os pacientes ao consultório de Hematologia. Anemia é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como diminuição do número de glóbulos vermelhos e/ou hemoglobina no sangue, o que causa deficiência no transporte de oxigênio para os tecidos e órgãos do corpo. Desta forma, o paciente apresenta cansaço generalizado, falta de ar, menor disposição para o trabalho, dificuldade de aprendizagem, palpitações, palidez na pele e mucosas entre outros sintomas que comprometem a qualidade de vida”.

Quais são as causas de anemia? Qual o seu tratamento?
“Na grande maioria das vezes, a anemia é causada por deficiência de ferro (ferropriva) e o diagnostico é feito através de exames simples como hemograma, dosagem de ferro, ferritina e transferrina. As causas que levam à diminuição de ferro no sangue podem ser: 1) baixa ingesta (desnutrição); 2) má absorção (cirurgias ou doenças em estomago e intestino); 3) perdas sanguíneas (fluxo menstrual aumentado, sangramento em fezes, urina etc). As mulheres em idade fértil, gestantes, idosos e crianças são populações mais susceptíveis às anemias ferroprivas. Existem outras causas para a anemia como deficiência de vitamina B12 e ácido fólico, a destruição de glóbulos vermelhos provocada por doenças autoimunes, defeito no funcionamento da medula óssea, além da presença de doenças inflamatórias, hepáticas e renais.O tratamento da anemia dependerá da causa identificada”.

A anemia pode ser um sinal de leucemia ou outro tipo de câncer?
“É improvável que a leucemia se manifeste apenas com anemia. No quadro de leucemia, a medula óssea, que é a fábrica do sangue, produz as células malignas em detrimento de células saudáveis. Desta forma, além da anemia, normalmente existem outros achados no hemograma, como alterações na quantidade e nas características dos glóbulos brancos e plaquetas. Em cânceres não hematológicos, a anemia pode ser uma consequência de vários fatores, como por exemplo: sangramento intestinal em câncer de cólon, diminuição de fatores hematopoéticos devido inflamação crônica, fibrose ou infiltração de câncer na medula óssea, efeito adverso da quimioterapia e radioterapia etc. Cada situação deverá ser analisada individualmente pelo médico hematologista”.

Quais são os cânceres hematológicos?
“Os cânceres hematológicos são principalmente os linfomas de Hodgkin e não Hodgkin, leucemias crônicas e agudas, mieloma múltiplo e síndromes mielodisplásicas. Cada uma destas doenças são subdividas e classificadas de acordo com suas características biológicas, que, em conjunto com o estadiamento do paciente, determinarão o tipo de tratamento, sua duração e o prognóstico”.


Quais os tratamentos de cânceres hematológicos?
“A hematologia é uma das especialidades médicas que mais avança no combate contra o câncer. Os métodos diagnósticos avançados levaram a descoberta de mutações genéticas e moléculas do câncer que proporcionaram tratamentos direcionados às células cancerígenas, o que preserva as células saudáveis, causando assim menores efeitos colaterais provocados pela quimioterapia. O tratamento dependerá do subtipo da doença, se crônica ou aguda, se indolente ou agressiva. Nos casos de leucemias crônicas ou linfomas indolentes, os pacientes usam medicações via oral ou ficam em observação. Já os pacientes diagnosticados com leucemias agudas e linfomas agressivos são submetidos à quimioterapia venosa. Em casos específicos, o transplante de células tronco hematopoiéticas (transplante de medula óssea) pode ser indicado a fim de garantir a cura ou prolongar o tempo de remissão da doença”.

É possível prevenir os cânceres hematológicos?
“Os cânceres hematológicos acontecem devido a alterações genéticas aleatórias nas células, que são impossíveis de prever. No entanto, alguns fatores ambientais e comportamentais podem aumentar o risco de desenvolver cânceres, alguns exemplos são: exposição à radiação e leucemias; exposição prolongada ao benzeno e síndromes mielodisplásicas; infecção pelo vírus HIV e Linfoma não Hodgkin; infecção pelo Epstein Barr vírus (mononucleose) e Linfoma de Hodgkin. Além disso, algumas medidas gerais, como combate ao tabagismo, ao etilismo e a obesidade, uso de filtro solar, atividade física rotineira, dieta saudável, sabidamente contribuem para diminuição do risco de desenvolvimento do câncer”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário