loading...

LUIZA

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Emasa diz que volta das chuvas diminui salinidade da água em Itabuna

A volta das chuvas ao litoral sul da Bahia teve reflexos positivos nas captações da Emasa, no Rio do Braço e Castelo Novo, no Rio Almada, que desde o final da semana passada, está fornecendo água com teores de cloretos (salinidade) mais baixos à população de Itabuna. Apesar da melhoria do volume de água nos mananciais, a empresa mantém o alerta de que a água ainda não está liberada para consumo humano, pois aguarda análises do Departamento de Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde.
O presidente da Emasa, Ricardo Campos, se disse satisfeito com a mudança das condições climáticas no último mês com chuvas intermitentes, embora fracas, porque os mananciais que estavam secos no Rio do Braço e Castelo Novo, começam a dar bons sinais. No caso do manancial de Nova Ferradas, no Rio Cachoeira, que abastece a zona oeste da cidade, a empresa vai relocar as motobombas assim que se inicie sua recuperação. “As chuvas ainda se concentram em determinadas áreas da região cacaueira, mas as expectativas são muito boas com a recuperação gradual”, afirma.
Nos últimos 12 meses, a região centro-sul da Bahia viveu uma estiagem sem precedentes, sendo a maior dos últimos 50 anos. Além de reduzir drasticamente a oferta de água nos rios que abastecem cerca de 40 cidades, a falta de chuvas provocou a seca do Rio Almada, principal fonte de abastecimento de Itabuna, cuja população foi obrigada a consumir água com elevado teor de cloretos, acima dos índices recomendados pelo Ministério da Saúde.
Diante desse fato a Emasa e a Vigilância Sanitária do município (VISA) fizeram reiterados avisos para que os consumidores evitassem a ingestão ou a utilização da água para a preparação de alimentos. Como medidas alternativas, a Prefeitura de Itabuna, com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (SIHS), Embasa, Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (CERB) e Superintendência de Proteção e Defesa Civil (SUDEC), desenvolveram ações para fornecimento de água por meio de carros pipa, captação no Rio das Contas, instalação de 170 tanques em áreas estratégicas da cidade e abertura de poços artesianos.
A Prefeitura também garantiu junto ao Ministério da Integração Nacional recursos federais para a manutenção do abastecimento de água da população por carros pipa pela Coordenadoria Municipal da Defesa Civil. Para isso, o prefeito Claudevane Leite foi recebido pelo ministro Helder Barbalho, em Brasília, quando fez o pedido e apresentou um relato da dramática situação de estiagem na região sul do Estado, a maior em mais de 50 anos, como atestam estudos de cientistas e pesquisadores de instituições de ensino superior e de pesquisas como UESC, UFSB e UFBA e Ceplac.

LAVOURA
Na área rural, o retorno das chuvas também melhorou as condições de produção de hortigranjeiros e devolveu ao agricultor a esperança que havia perdida com a estiagem. Pelos levantamentos da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil junto aos pluviômetros e estação hidrológica instalados em Itabuna pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), vinculado Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), no período de 27 de julho a ao meio-dia de hoje, dia 3, foram registrados 31.21 milímetros de chuvas na estação de Nova Ferradas; 28.73 mm/24h, na área do São Caetano; 27.08 mm, na área centro; e 22,4 mm, na ponte do São Caetano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário