loading...

LUIZA

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Festival do Chocolate, flores e joias atrai 30 mil pessoas e movimenta R$ 2 milhões em negócios no Pará

Aproximadamente 30 mil pessoas visitaram os 89 estandes do 4º Festival Internacional de Chocolate e Cacau da Amazônia e 16º Flor Pará, entre os dias 22 e 25 de setembro, no Hangar Centro de Convenções da Amazônia, em Belém do Pará. O evento reuniu renomados especialistas para apresentar os avanços tecnológicos na produção de cacau, chocolate, flores e joias, importantes segmentos da economia do Estado. Com homenagem aos 400 anos da cidade de Belém, o Festival também promoveu os setores da gastronomia e turismo no Pará.
De acordo com Marco Lessa, empresário e organizador do evento, durante os quatro dias de Festival foram movimentados R$ 2 milhões em negócios. “Podemos calcular também outros R$ 5 milhões que serão destinados a novas plantas da indústria chocolateira futuramente instaladas no Estado”, revela.
Em visita à área da exposição, o governador do Pará, Simão Jatene, destacou o crescimento do evento. “No início, poucos acreditaram que se pudessem vender flores, chocolate e joias na Amazônia, mas a cada ano a feira se supera não só pela dedicação dos organizadores, mas pela frequência de público que comparece cada vez mais”. Já o secretário Hildegardo Nunes, da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca do Pará (Sedap), destacou a importância da inovação, como “chave para o equilíbrio entre as diferentes prioridades”, e o conhecimento “para enfrentar os desafios e tornar o trabalho mais produtivo, sustentável, rentável e agradável para o produtor rural”.
Sob o tema central Trilogia da Sedução, o evento alia os prazeres e encantos do chocolate, flores e joias. Durante quatro dias, o 4º Festival Internacional de Chocolate e Cacau da Amazônia e 16º Flor Pará promoveram programação variada, que incluiu feira com exposição de marcas de chocolate gourmet, expositores de flores tropicais cultivadas na Amazônia, ciclo de palestras, rodadas de negócios, workshops, concursos e ainda atividades para crianças.

Chocolate
O Festival mostrou que o crescimento da cacauicultura no Pará está acelerado, com o acesso às tecnologias que facilitam a realização de negócios. Em cinco anos, a área de plantio saltou de 110 mil para 170 mil hectares, a produção de 64 mil para 115 mil toneladas de amêndoas e a produtividade de 806 para 922 kg/há, gerando 230 mil empregos. A cadeia produtiva acompanha a evolução e hoje já são seis as marcas de chocolate paraenses, com duas agroindústrias implantadas e três em fase de estudos.
A degustação dos chocolates atraiu muita gente aos estandes e os sabores diferenciados chamaram a atenção. “Prefiro os mais amargos, que têm menos açúcar”, destaca a estudante Carla Meira, preocupada com a estética. Já o engenheiro João Magalhães aprecia os bombons de frutas regionais: “Precisamos valorizar o que é nosso”. As bombonzeiras do Pará recebem capacitação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e utilizam chocolate paraense com maior teor. Uma delas, Izete Costa, mais conhecida como Dona Nena. Produtora de chocolate rústico na Ilha do Combu, Dona Nena já fornece seus produtos para restaurantes famosos na alta gastronomia, como o D.O.M, do chef Alex Atala, e o Remanso do Bosque, do chef paraense Thiago Castanho.

Flores
A feira de flores marca o início da primavera no país e demonstra o potencial de crescimento da floricultura paraense e o amadurecimento profissional do produtor. Nos últimos 10 anos, a produção aumentou de 600.700 unidades de flores para 1,5 milhão; e de 99 para quase 300 floricultores no Estado. O plantio expandiu da área metropolitana para os municípios de Santarém, Paragominas e Marabá e gera mais de mil empregos.
Foi visível durante a exposição o incremento na qualidade das flores tropicais e temperadas e plantas ornamentais, como folhagens e gramas. Isso é possível graças à capacitação dos produtores, que aprenderam técnicas modernas de pós-colheita e novas tecnologias de produção durante os 16 anos de realização do evento Flor Pará.

Joias
A Trilogia da Sedução finaliza com as joias produzidas no Polo Joalheiro do Pará, que se destacam pelo brilho, beleza e criatividade de designers, ourives e lapidários. A coleção de 39 peças compôs a mostra “Joias na Belém 400 Anos: Cultura História e Natureza”, em homenagem ao quarto centenário da cidade.
O 4º Festival Internacional de Cacau e Chocolate da Amazônia e 16º Flor Pará foram realizados pela Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca do Pará (Sedap), em parceria com Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PA), Secretaria de Estado de Turismo (Setur), Federação da Agricultura do Estado do Pará (Faepa) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Federação das Indústrias do Pará (Fiepa) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Federação do Comércio do Pará (Fecomércio), Serviço Nacional do Comércio (Senac), Organização das Cooperativas do Brasil (OCB-PA) e Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater).

Nenhum comentário:

Postar um comentário