loading...

LUIZA

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

RONALDÃO CONVOCA VEREADORES ELEITOS E NÃO ELEITOS PARA LUTAR POR ITABUNA

GLEBÃO ACEITOU O DESAFIO PROPOSTO
“Com ou sem mandato, vamos lutar por Itabuna”. A frase do vereador reeleito Ronaldão (PMN) ecoou forte entre os colegas de legislatura da Câmara de Itabuna, de modo especial entre os que não retornarão em 2017. Dos 19 vereadores que se candidataram (Carlos Coelho e Carlito de Sarinha ficaram de fora da disputa), 12 deles não conseguiram renovar o mandato nas urnas.
Glebão (PV, foto), declarou que vereador não é emprego e fez questão de pontuar nunca ter se envolvido com corrupção. “Entrei e saio de mãos limpas”, frisou. De outra sorte, Valter Socorrinho (SD) salientou os contratempos dele no pleito por conta da saúde. O vereador sofreu pré-infarto que motivou o afastamento por 30 dias da campanha de rua. “Não era minha vez agora.”
Valéria Morais (SD) lembrou as causas que abraçou durante a passagem pelo Legislativo itabunense, como as que beneficiaram moto-taxistas e bombeiros civis. “Retorno às fileiras do PM de cabeça erguida”, garantiu a vereadora que também é soldado da Polícia Militar baiana. Ela e Carmen Ferreira (DEM), o time feminino da atual legislatura, perderam o mandato nas urnas.
O líder do PPS na Câmara grapiúna, Nadson Monteiro, comemorou o fato de a legenda ter mantido as duas cadeiras que ocupam atualmente no Legislativo municipal, por meio do próprio vereador e de Cesar Brandão. Os dois parlamentares ficarão na Casa até 31 de dezembro. Brandão ressoou o discurso de que vai continuar lutando por Itabuna em 2017 como cidadão.
Críticas à saúde Carlos Coelho (PSD) teceu críticas ao funcionamento da Maternidade Ester Gomes. O médico denunciou o atraso de cinco meses no salário dos empregados da unidade hospitalar e relatou que há 13 meses trabalha na Maternidade “sem receber um centavo.” Coelho confirmou a greve no hospital a partir desta quinta, 06, pediu que a Câmara continue defendendo a saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário