loading...

LUIZA

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Guardas são treinados para atuarem com arma não letal


Guardas aprendem uso e estratégias de ação com o dispositivo

Cerca de 35 homens e mulheres da Guarda Municipal de Belém, mais precisamente de grupos especializados, como o Grupamento de Ações Táticas (GAT) e o projeto “SOS Mulher”, participaram, nesta semana, do curso de operador de dispositivo elétrico incapacitante, mais conhecido como arma de choque, equipamento não-letal considerado como um dos mais modernos no que tange a esse tipo de procedimento.
Segundo o inspetor Arlindo Guedes, instrutor do curso, o uso desse tipo de equipamento, que provoca uma rápida incapacitação neuromuscular na pessoa atingida, já está liberado em Belém. Aos poucos, os membros dos grupamentos estão sendo capacitados para a utilização da ferramenta. Com a turma que concluiu o curso nesta semana, já são mais de 150 guardas municipais aptos ao uso da arma de choque.
“Existem diferentes níveis de uso da força dentro do procedimento legal de segurança pública. Quando você tem, por exemplo, um agressor que ameaça uma vítima com uma arma branca, como uma faca, por exemplo, provocar essa incapacitação neuromuscular é o mais indicado, pois você neutraliza o agressor e consegue imobilizá-lo. Isso é bom para a instituição, que não gera um grande trauma ou dano para o agressor e consegue sucesso na missão, e, também, para ele mesmo, que vai ter a vida preservada”, explica Guedes, acrescentando que a Guarda Municipal de Belém já utiliza outros equipamentos não letais, como o spray de pimenta e a munição de borracha. “No entanto, a arma de choque é a mais eficiente, justamente por causar uma poderosa ação neutralizante”, pontua.
O guarda Elias Nascimento, membro do GAT, concorda com a avaliação e diz que vê uma grande evolução no trabalho da Guarda, em relação a 20 anos, quando começou na função. “Sem dúvida, hoje em dia, estamos trabalhando muito mais adequadamente, com materiais não letais, o que facilita o nosso serviço”, frisa.
A mesma visão tem o guarda Manfrini Pereira, lotado no projeto SOS Mulher. “Com esse tipo de material, conseguimos preservar a vida, que é o mais importante no nosso trabalho”, destaca.

Trabalho reconhecido
Criada inicialmente com o objetivo apenas de proteger praças, prédio e demais logradouros públicos, a Guarda Municipal de Belém (GMB), com 25 anos de história, se tornou hoje parte fundamental na segurança da capital paraense. Nos últimos três anos, cerca de 4.500 ocorrências envolvendo assaltos, furtos e tráfico de entorpecentes, foram registrados pela equipe da GMB.
Atuando nas diferentes esferas como de combate à criminalidade, projetos educacionais, medidas preventivas, entre outros, a corporação oferece constantemente cursos de capacitação e aperfeiçoamento aos servidores, a exemplo do que ocorreu nesta semana.
Atualmente, a corporação conta com o efetivo de 1.186 guardas entre homens e mulheres que atuam nas áreas administrativas e em grupamentos de Ações Táticas com Cães (Atac), Ronda da Capital (Rondac), Grupo de Ações Táticas (Gat) e Grupamento Operacional e a Banda de Música da Guarda.
Investimentos – A Guarda Municipal de Belém conta com a efetivação do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), tendo, hoje, os cargos de comando preenchidos por guardas municipais.
Desde 2013, cerca de 5 milhões de reais estão sendo investidos para implantar os módulos que compõem o Sistema Integrado de Monitoramento (SIM), bem como o monitoramento por meio de 16 câmeras de segurança distribuídas nos bairros do Guamá e Terra Firme; o programa “Crack, é possível vencer” que conta com o auxílio de um micro ônibus que funciona como base móvel de monitoramento e possui câmeras de 306º e fixas no Barreiro; a implantação do programa “SOS Mulher”, que funciona como o “botão do pânico”; a criação do telefone 153, que funciona como um “Ciop municipal” e pode ser acionado tanto de telefone fixo quanto de celular; e a efetivação da GMB como órgão que auxilia na fiscalização do trânsito.
Texto: Elck Oliveira
Foto: Alessandra Serrão - NID/Comus

Nenhum comentário:

Postar um comentário