loading...

LUIZA

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

UESC DE LUTO - MORRE PROFESSORA ARLETE VIEIRA EM ACIDENTE DE CARRO

Um grave acidente na rodovia BA 001 (Ilhéus-Olivença), envolvendo dois veículos, ás 20h desta quinta-feira (09), deixou três pessoas mortas, dentre as vítimas a professora da Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC, Arlete Vieira da Silva. A colisão envolveu um Fiesta e um Uno, a perícia está apurando ocorrido em noite chuvosa com pista molhada.
Foram identificadas outras vítimas: Alipio Hage Neto, 62 anos, que dirigia o Uno.
Uma terceira vítima (adulto), que era o condutor do Fiesta, foi socorrida pelo Samu, mais veio a óbito no Hospital Regional Luiz Viana Filho. Duas crianças que estavam no Fiesta, estão internadas no Hospital Regional, e não há informações sobre o estado de saúde delas.

ARLETE VIEIRA DA SILVA
A professora universitária Arlete Vieira da Silva, destacou-se como uma das fundadoras do Instituto Marola e diretora da escolinha de Surf Charles Chaves, de Olivença. Conforme atesta
a professora e amiga Rafaela Penido Burnier, "Arlete era carinhosamente chamada, era uma grande batalhadora pela melhoria das condições de vida da comunidade de Olivença, onde morava e
apostava no surf como um dos instrumentos de transformação social". Ela completaria 51 anos de idade no próximo dia 19.
A colega ainda descreve Arlete como "grande educadora e profissional altamente qualificada, seguidora dos ensinamentos de Paulo Freire, de quem era fã declarada, Tica nasceu em Camaquã, no interior gaúcho em 19 de fevereiro de 1966. Em 1995 formou-se em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG). No ano seguinte, iniciou o curso de Mestrado em Ciências a Educação, na Universidade Federal de Pelotas (Ufpel)".
Já em 2011, Arlete fez Doutorado em Educação e Contemporaneidade pela Universidade Federal da Bahia e em 2012, mudou-se pra Natal, no Rio Grande do Norte, onde morou por um período. Em Ilhéus, dava aula e atuava como orientadora no departamento de Letras e Artes na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), onde ministrava a disciplina estágio supervisionado .
Quando chegou na cidade se encantou com Olivença, onde fixou residência, colecionou muitos amigos, arrebatou admiradores e onde desenvolvia uma série de ações sociais que envolviam a comunidade local. Além de dedicar grande parte dos seus dias à escolinha de surf, Tica comandava outras atividades desenvolvidas pelo Instituto Marola especialmente no chamado Coletivo de Mulheres, que buscava o empoderamento feminino. Além disso, mantinha uma biblioteca e realizava atividades como oficinas de leitura, aulas de bordado e crochê, clube do inglês, cursos de matemática, palestras voluntárias e até aulas preparatórias de redação para o Enem.
Tica nutria uma grande paixão pelo mar, outra de suas fontes de inspiração e era altamente preocupada com a preservação do ambiente marinho.
Em seu perfil no Facebook, Arlete deixou registrada, como uma das suas citações favoritas, o trecho que segue:

“A memória guardará de mim
Amigos que tive
Filhos que fiz
E todos que aumentaram minha alma” (Galeano)


Tica deixa um casal de filhos: o músico Marcelo Vieira, que mora no Rio Grande do Sul, além da estudante Clara Vieira, 24 anos, que mora em Olivença.
Rafaela Penido Burnier,

Um comentário:

  1. Só para retificação. Arlete possuía três filhos, pois tem também o Pedro, mais novo. A ilha dela é uma adolescente de 16 anos e o Marcelo mora em Olivença há anos.

    ResponderExcluir