loading...

LUIZA

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Memorial do Descobrimento do Brasil / 22 de Abril



Descobrimento do Brasil
A empreitada dispunha de: 13 navios, um bom carregamento de armas com 1500 homens, o capitão escolhido foi Pedro Álvares Cabral, fidalgo da corte que merecia a confiança do rei, com ele iam, entre outros, Bartolomeu Dias, o seu irmão Diogo Dias. Nicolau Coelho. O famoso piloto Pêro Escobar foi um homem que passou a história pelos feitos de navegador, e Pêro Vaz de Caminha por escrever muito bem. A ele se deve o relato minucioso do descobrimento do Brasil, pois a carta que enviou a D. Manuel sobre o assunto chegou até os nossos dias.
Pedro Álvares Cabral largou das margens do rio Tejo em Lisboa, a 9 de março de 1500.
A 21 de abril tornou-se evidente que estavam perto da terra, pois avistaram um tipo de alga chamada Botelho ou rabo-d’asno que não aparece no mar alto.
Naquela zona, depois chamada Porto Seguro vivia uma tribo de índios – os Tupiniquins. Belos, simpáticos, afáveis, deixaram os marinheiros encantadíssimos! Pêro Vaz de Caminha descreveu-os muito bem: pardo de pele avermelhada, com feições bonitas cabelos negros muito lisos, que os homens usavam cortados por cimas das orelhas e as mulheres soltos pelos ombros. Andavam nus e não demonstravam vergonha, sendo tão elegantes, ninguém se sentiu chocado, a inocência do paraíso.Alguns ostentavam pinturas no corpo, bonitas toucas feitas com pena de papagaio e colares de continhas miúdas. No lábio inferior atravessavam um osso branco que aparentemente não perturbava nenhuma função.

A Epopeia do Descobrimento do Brasil tem muitos detalhes e surpresas incríveis de se conhecer. Você pode redescobrir o Brasil, em Porto Seguro, na Bahia, onde nossa história é contada em um cenário paradisíaco e encantador.

VOCÊ PODE REDESCOBRIR O BRASIL.
Já pensou em reviver a saga do descobrimento do Brasil? Essa é a proposta do MEMORIAL DA EPOPEIA DO DESCOBRIMENTO, um espaço cultural por excelência. Seu acervo e instalações remetem os visitantes ao período da humanidade em que grandes inovações tecnológicas, artísticas , filosóficas, sociais e religiosas aconteceram, dando origem a Era Moderna. O passeio agrada turistas de todas as idades por se consolidar como alternativa de entretenimento diferenciada pelo caráter histórico-cultural e ambiental.

MAS O QUE É O MEMORIAL DO DESCOBRIMENTO?
O Memorial é uma área particular, fundada em 2003 pelo professor e empresário Wilson Cruz. Desde então, o local tem preenchido uma lacuna histórica, já que não há outro museu local que conte os fatos, estratégias e personalidades que alavancaram a expansão territorial portuguesa. Narra sobre o Descobrimento do Brasil, passando pela importância da Mata Atlântica que, na época, cobria todo o litoral brasileiro. Por conta disso, o museu conta com exposições didáticas de objetos referentes ao período histórico ou réplicas fiéis de objetos que estão espalhadas pelo Brasil e Portugal. Seu museu a céu a aberto fica dentro de um jardim botânico de 20 mil metros quadrados de Mata Atlântica, 97% protegido e estudado por pesquisadores e universidades da Bahia. Apenas 3% do terreno é de área construída, onde há exposições de documentos que contam a saga dos portugueses. O local é apresentado por guias que também contam sobre a importância da cultura indígena local.

O QUE SE DESTACA NESSA AVENTURA HISTÓRICA?
O ápice deste passeio é a réplica da Nau de Pedro Álvares Cabral, que faz o visitante viajar no tempo e ter contato real com a história da humanidade. Após muitas pesquisas, o professor Wilson Cruz desenvolveu o imponente projeto da caravela em tamanho natural: são 35 metros de comprimento por 8 metros de largura e 7 metros de altura, tendo um mastro principal de 27 metros de altura com 1.200 metros quadrados de área velica. O navio está em terra firme, e chama a atenção até de quem está do lado de fora do museu, com réplica de canhões direcionados para o mar que beira o Memorial. O interior também é cenografado da mesma forma como eram distribuídos os compartimentos e objetos, o que permite conhecer as precárias condições de viagem naquela época. Na parte de cima há um quarto, como o de Pedro Álvares Cabral, com cama simples, mesinha e baú de roupas.

Ali se aprende sobre os 106 anos de expansão territorial portuguesa, desde o nascimento do infante dom Henrique em 1394 (personalidade importante no período de descobertas) até o ano de 1500. Detalhe que há réplica das velas das caravelas portuguesas, relógio de sol, cópia dos mapas e imagens sacras que detalham a cultura portuguesa da época. Na Alameda do Descobrimento o visitante conhece um pouco da cultura indígena, com ocas que mostram a engenharia simplista do povo pataxó e seus utensílios para armazenamento de alimentos, armas de caça e defesa, além de adornos.


COMO EMBARCAR NESSA SAGA?

O Memorial da Epopeia do Descobrimento fica na praia do Outeiro da Glória, a um quilômetro do Centro de Porto Seguro, pela BR 367 em direção a Santa Cruz Cabrália. O ingresso, que inclui visita guiada por toda a sua estrutura pode ser adquirido na entrada. Custa R$20,00 por pessoa, criança até 12 anos acompanhada de adulto, não paga. Para grupos maiores, é possível agendar a visita através do telefone (73) 3268-2586. O museu está aberto de segunda a sábado, horário comercial. Informações: www. memorialdodescobrimento.com.br ou pelas redes sociais @MemorialdoDescobrimento

Marcella Benedictis

Nenhum comentário:

Postar um comentário