loading...

LUIZA

terça-feira, 2 de maio de 2017

Técnicos fazem diagnóstico para elaborar projetos e buscar recursos para comunidades de Ilhéus

Para o município receber recursos e dar conta das suas demandas é preciso planejar. Hoje em dia, nem um centavo é liberado por instâncias superiores - onde há fonte de recursos -, se não houver projetos, de preferência com boas ideias e baixo custo. Em Ilhéus, uma cidade geograficamente acidentada, é preciso estabelecer prioridades, subir e descer os morros e conhecer de perto as necessidades da população mais carente. Saber onde o problema está. E criar alternativas para resolvê-los.
Neste final de semana, dois engenheiros civis, um geógrafo e uma assistente social, da Prefeitura de Ilhéus e de uma empresa de consultoria, fizeram este trajeto. “Realizamos visitas técnicas em áreas com carência de infraestrutura. São vistorias acompanhadas de um levantamento de dados técnicos, sociais e econômicos sobre o local e sua comunidade”, explica Hermano Fahning, secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Trânsito (Seintra).
A ideia é que, de posse dos diagnósticos sobre estas comunidades, projetos possam ser apresentados ao governo federal e, depois de analisados, recursos possam ser liberados para sua execução. “Estamos fazendo agora medidas que irão nos contemplar nos próximos quatro anos”, afirma Hermano. A equipe dele já concluiu o levantamento na zona sul, centro e norte do município. “A partir deste trabalho de campo vamos definir poligonais de intervenção e elaborar projetos completos para captar recursos na modalidade de Saneamento Integrado, via PAC, no Ministério das Cidades”, projeta.
O secretário sabe que o caminho até a liberação dos recursos em Brasília “é longo”. Mas é preciso começar agora para colher frutos até 2020. “Estamos cumprindo a primeira etapa. Nossa meta é, a partir das visitas aos pontos críticos traçados no nosso planejamento, levar água, drenagem, esgoto, pavimentação e calçadas às áreas mais carentes de Ilhéus, onde hoje só se vê obstrução de córregos, alagamentos, inundações e deslizamento de terra”, explica.
Esta é uma ação integrada determinada pelo prefeito Mário Alexandre. Envolve, além da Seintra, as secretarias de Planejamento, Meio Ambiente e Sustentabilidade (Seplandes) e Desenvolvimento Social (SDS). Em uma outra etapa - pós-aprovação de projetos - vão se integrar ao grupo a Secretaria Municipal de Administração e o Controle Interno da Prefeitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário