loading...

LUIZA

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Tigre e Cope participam de encontro de comandos táticos na Bahia e confirmam próximo evento para Curitiba








Atualizar técnicas e trocar conhecimentos foram os motes principais do I Encontro Nacional de Comando de Operações Táticas da Polícia Civil, realizado na semana passada, na Bahia. O evento contou com delegados das duas unidades de referência da Polícia Civil do Paraná: Tigre (Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial) e Cope (Centro de Operações Policiais Especiais).
Promovido pela Polícia Civil da Bahia, o encontro visou partilhar as estratégias de trabalho desenvolvidas por cada uma das instituições presentes. Participaram delegações de 18 estados com o objetivo de abordar a uniformização, procedimentos em operações táticas e afinação de doutrina para combate da criminalidade.
“Tivemos a oportunidade de nos reunir e debater, com representantes de outros 17 estados, assuntos relacionados a grupos de operações especiais e operações táticas dentro da Policia Civil como um todo. O objetivo foi padronizar algumas nomenclaturas para que haja identificação entre esses grupos, para que falem a mesma língua, consigam evoluir e tenham mais representatividade com os demais setores da segurança pública”, explicou o delegado-operacional do Tigre, Cristiano Quintas.
O delegado adiantou que próximo evento entre os coordenadores será realizado em Curitiba, no mês de novembro.
“O ganho foi inestimável com a junção de esforço e conhecimento e troca de experiências e atualização de conhecimento. Todas as unidades presentes com seus 18 comandantes possuem expertise única, de visitas fora do país e prática especificas que foram compartilhadas e a intenção é padronizar o trabalho”, explicou o delegado André Viana, do COE (Coordenação de Operações Especiais), organizador do evento.
O encontro contou com palestras das equipes de Goiás, Distrito Federal e Rio de Janeiro. A primeira expôs como funcionam as operações no país, a segunda apresentou boas práticas de gestão e a terceira equipe, do Rio, exibiu a realidade das operações táticas naquele estado. A equipe baiana encerrou as apresentações mostrando o papel da COE no sistema de segurança da Bahia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário