loading...

LUIZA

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Policiais civis concluem inquérito sobre latrocínio de soldado da PM

A equipe da Delegacia de Segurança Patrimonial (DSP) concluiu, nessa sexta-feira (04), o inquérito policial que aponta W.V.D., de 26 anos, como suposto autor do latrocínio que matou o soldado da Polícia Militar André Monteiro, em fevereiro deste ano.
De acordo com o titular da unidade, delegado Fabiano Rosa, W.V.D. chegou a ser detido no dia seguinte ao crime, ocasião em que a namorada do militar reconheceu o suspeito, em uma ação que contou com o apoio da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) da Serra, porém teve a prisão preventiva revogada.
“Além dela, ouvimos uma testemunha que reconheceu o suspeito como sendo a pessoa que lhe vendeu o celular que foi roubado da vítima durante o crime. Não há dúvida de que ele é o principal suspeito”, contou o delegado.
O indiciado praticou outro crime após o benefício da liberdade provisória e já se encontra preso, no Centro de Triagem de Viana (CTV), por furto qualificado. Agora também será autuado por latrocínio.

O crime
O crime aconteceu no dia 16 de janeiro deste ano, na Avenida Getúlio Vargas, em Serra Sede. O soldado André Monteiro dos Santos, de 22 anos, que atuava no Grupo de Apoio Operacional (GAO) do 6º Batalhão da Polícia Militar, na Serra, estava saindo da academia com a namorada, quando foi abordado pelo criminoso em uma motocicleta.
Segundo as investigações, após o anúncio do assalto, o soldado teria sacado uma arma, mas foi abraçado pela namorada para que ele não atirasse contra o criminoso, que estava com uma faca. O suspeito teria se aproveitado do momento para esfaquear o policial no braço e, quando a arma caiu no chão, o criminoso pegou e atirou 14 vezes contra o militar. O homem fugiu levando a arma e o celular do soldado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário