loading...

LUIZA

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

USP lança novo curso de Medicina no campus de Bauru



O novo curso foi aprovado pelo Conselho Universitário, no dia 4 de julho, e será oferecido pela FOB já a partir de 2018. Ao todo, serão 60 vagas em período integral – sendo 42 vagas reservadas para ingresso pela Fuvest e 18 pelo SiSU, na modalidade destinada a estudantes que tenham cursado o ensino médio integralmente em escolas públicas. A proposta é aumentar gradativamente essa oferta, passando a 80 vagas, em 2020, e chegando a 100, a partir do ano de 2021.
[Da esq. p/ dir.] O deputado estadual Pedro Tobias; o prefeito de Bauru, Clodoaldo Gazzetta; o governador Geraldo Alckmin; o reitor Marco Antonio Zago; a diretora da FOB, Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado; e o secretário Estadual da Saúde, David Uip (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)“No início, muitos se perguntaram como a USP, em meio a uma de suas piores crises financeiras, decide abrir um novo curso de Medicina? Na verdade, nós estamos aproveitando uma oportunidade única. Aquilo que muitos chamam de crise, nós chamamos de oportunidade. Foi o risco da insolvência que nos levou a repensar as finanças e a governança na Universidade e a reconhecer que nós temos compromissos muito grandes com a sociedade que nos sustenta. Por isso, o lema da nossa gestão é derrubar os muros da USP e aproximá-la ainda mais da sociedade”, afirmou o reitor Marco Antonio Zago.
O governador Geraldo Alckmin elogiou o papel de liderança do reitor. “Não é fácil ir ao Conselho Universitário em um momento de crise e criar uma faculdade nova. O novo curso é fruto de uma engenharia bem feita, é uma prova da boa política, que é arte e ciência ao encontro do bem comum. Das 26 mil universidades do mundo, a USP ocupa o 121º lugar, ou seja, está no 1% das melhores universidades do mundo. É um orgulho para nós brasileiros, orgulho de que tanto esta instituição quanto também as suas irmãs, a Unesp e a Unicamp, sejam as melhores universidades brasileiras”.
Para a diretora da FOB, Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado, “o sucesso do curso de Medicina de Bauru está relacionado ao conceito de que equipes vencedoras são formadas por pessoas que não pensam apenas em sua vitória pessoal, mas sim no todo, vibram pelas conquistas dos colegas e entendem que o sucesso deles é também seu. Acredito veementemente que este curso nasceu com o compromisso de fazer a diferença na formação de médicos com um olhar humanístico sobre seus pacientes, com uma visão de gestores e empreendedores para inovar em todos os tópicos relacionados à saúde, principalmente na melhoria da qualidade de vida da nossa população”.
O Hospital das Clínicas de Bauru, que será implantado no atual Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC), terá 200 leitos e servirá como hospital-escola para os estudantes do curso de Medicina de Bauru (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)
O prefeito de Bauru, Clodoaldo Gazzetta, lembrou a importância simbólica do lançamento do curso no dia do aniversário de 121 anos da cidade. “Ninguém faz nada sozinho. Esse curso de Medicina era, há muito tempo, o sonho de todo cidadão bauruense, e essa conquista é uma construção de vários governos, de várias pessoas que contribuíram para que esse sonho pudesse se tornar realidade na manhã de hoje. É uma grande felicidade poder participar desse momento histórico da minha cidade, compartilhando com a minha população,” afirmou.

O governador e o reitor assinaram também um termo de cessão de uso do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC), por meio do qual a Secretaria Estadual de Saúde assume a gestão e as despesas de custeio do prédio, ficando a USP responsável pela gestão acadêmica.

Novo hospital
O secretário Estadual da Saúde, David Everson Uip, explicou que “hoje estamos passando a gestão do Hospital de Base para a Prefeitura de Bauru, o que é fundamental para a cidade. E a Secretaria de Saúde assume o HRAC, que, atualmente, é subutilizado, com apenas dois de seus dez andares ocupados, com o objetivo de transformá-lo rapidamente em seu novo hospital estadual, voltado ao ensino e à pesquisa”.
“Ganha a USP, porque deixa de pagar o custeio do HRAC e se concentra na sua missão, que é a formação de pessoal qualificado. Ganha o governo do Estado, que passa a dispor de mais um hospital de qualidade já construído, com substancial número de funcionários, para implantação imediata e ampliação do centro de saúde da região. Ganha a população com a instalação de um hospital de alta complexidade em várias especialidades. Ganha toda a população brasileira, com a criação de um curso de medicina de alto padrão, com o perfil dos cursos da USP. Todos ganhamos, cada um fazendo a sua função para atender melhor a sociedade”, concluiu o reitor.

Cidadão bauruense
Na mesma cerimônia que marcou o lançamento do curso de Medicina de Bauru, houve uma sessão solene da Câmara Municipal para a entrega dos títulos de “Cidadão bauruense” ao reitor Marco Antonio Zago; à diretora da FOB, Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado; e ao secretário Estadual da Saúde, David Everson Uip.
A sessão foi presidida pelo presidente da Câmara Municipal de Bauru, vereador Alexssandro Bussola.
Por Erika Yamamoto

Nenhum comentário:

Postar um comentário