quinta-feira, 24 de maio de 2018

Atuação das forças de segurança resulta no aumento de 8,9% nas apreensões de armas de fogo no Ceará


Além das reduções registradas em Fortaleza e no Ceará no número de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs), a intensificação dos trabalhos policiais tem refletido ainda no aumento de apreensões de armas de fogo, em todo o Estado, durante o primeiro quadrimestre do ano. O aumento foi de 8,9% em 2018 em comparação ao mesmo período em 2017. Neste ano, foram 2.416 armas de fogo contra 2.218 no ano passado.Para André Costa, secretário da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), “boa parte dos crimes violentos, como homicídios e roubos, é praticada com armas de fogo. Por isso, a quantidade de armas apreendidas é um índice importante de avaliação do trabalho policial”, ressaltou. O gestor destaca ainda que em 2017 foram quase 7 mil armas apreendidas, com uma média de 580 ao mês e com um aumento de 26% em relação a 2016. Já neste ano, a média, até abril, foi de 604 armas retiradas das mãos de criminosos, mensalmente.
Índices positivos como estes são provenientes dos trabalhos realizados pelas forças de segurança cearenses, que foram reforçadas com o ingresso de novos servidores e o investimento feito pelo Governo do Ceará em equipamentos, novas viaturas, além da interiorização do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) e do videomonitoramento.
Conforme ranking da Assessoria de Análise Estatística e Criminal (Aaesc) da SSPDS, o maior número de apreensões este ano foi o de revólveres, com 1.361 unidades. Em segundo lugar estão as espingardas, com 593 apreensões; e em terceiro, as pistolas, com 388. Em seguida, vêm as apreensões de 39 rifles, 22 carabinas, cinco pistoletes, três escopetas, três fuzis e duas submetralhadoras. “Acho oportuno destacar esses números para demonstrar o orgulho que a população cearense deve ter de seus policiais civis e militares, que muito têm feito pelo Estado e têm sido os maiores responsáveis pela melhoria dos indicadores de segurança pública”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário